Sítios arqueológicos são ‘alugados’ para publicidade na Grécia

A iniciativa, considerada durante décadas um sacrilégio pelos arqueólogos, foi liberada pelo governo grego

Atenas – A Grécia decidiu permitir que a publicidade utilize suas famosas ruínas e sítios arqueológicos, começando pela Acrópole, iniciativa considerada durante décadas um sacrilégio pelos arqueólogos, indicou na terça-feira uma fonte do ministério da Cultura.

Esta decisão, tomada num momento em que a Grécia, hiperendividada, tenta encher os vazios cofres públicos, forma parte de uma série de disposições destinadas a “facilitar” o acesso ao patrimônio do país, e garantir deste modo sua promoção, afirmou.

Os fundos arrecadados, entregues ao Fundo de Recursos Arqueológicos, serão repassados aos sítios para sua vigilância e manutenção.

O uso com fins comerciais dos sítios e antiguidades gregas era até agora competência exclusiva do Conselho Central de Arqueologia (KAS), muito exigente quanto à conservação do patrimônio.

Durante décadas, apenas uns poucos eleitos, entre eles a cineasta greco-canadense Nia Vardalos e o americano Francis Ford Coppola, puderam filmar na Acrópole, enquanto as filmagens e fotografias publicitárias eram excluídas.