Setor hoteleiro receberá até R$ 1 bi do BNDES para a Copa

De olho na Copa de 2014, financiamentos devem aumentar oferta de leitos nos hotéis e melhorar a infraestrutura do turismo no país

O setor de turismo terá à disposição uma linha de financiamentos inédita do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Segundo o ministro do Turismo, Luiz Barretto, os recursos serão concedidos especificamente para a construção de novos hotéis, ou a reforma do atual parque hoteleiro. “Estamos trabalhando com dois cenários: 500 milhões ou 1 bilhão de reais. Devemos decidir isso até dezembro”, disse o ministro ao Portal EXAME.

Barretto, que participou de evento organizado pela Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil, em São Paulo, na segunda-feira (21/09), explicou que o financiamento deverá oferecer condições especiais para atrair pequenas e médias empresas. “Em primeiro lugar, alongaremos os prazos atuais dos empréstimos para este setor. A expectativa é de que sejam concedidos prazos entre 15 e 20 anos. E esta deverá ser necessariamente uma linha com juros mais baixos”, disse o ministro.

Além da quantia financiada via BNDES, o setor também deverá captar recursos da ordem de 1 bilhão de reais do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para financiar obras exclusivamente de infraestrutura turística, mas descolada das obras de mobilidade urbana (estas, financiadas pelo governo federal).

Segundo estudo realizado pela Associação Brasileira da Infra-Estrutura e Indústrias de Base (Abdib), o segmento de hotéis ainda apresenta deficiências se for levado em conta o número de turistas que devem ser atraídos para as cidades-sede de jogos da Copa. A pesquisa mostra que, em cidades como Brasília e Porto Alegre, será preciso expandir as vagas nos segmentos econômicos. Já em Salvador e outras cidades-sede que são pontos turísticos do Nordeste, a carência é por vagas nos segmentos de luxo.

Expectativas

O ministro se mostrou otimista com as perspectivas para o setor de turismo, não apenas tendo em vista a Copa do Mundo, mas, desde já, como setor de destaque na pauta de exportações do país. “O Brasil saiu da crise. Tivemos um crescimento de 2% entre abril e junho, e esperamos retomar um crescimento em torno de 5% nos próximos anos, o que nos dá boas perspectivas para 2014”.

Pensando no evento esportivo que será sediado pelo Brasil, o ministro afirmou que serão considerados quatro grandes eixos de desenvolvimento para o turismo brasileiro. Além do setor de hotelaria, destino do financiamento do BNDES, começam a surgir projetos para a capacitação dos profissionais, com o objetivo de aumentar a qualidade dos serviços. Em agosto, segundo Barretto, 80 mil funcionários da área do turismo iniciaram um curso de capacitação em idiomas, com foco no inglês e no espanhol.

O ministério também tem boas expectativas para a promoção do país no exterior. “A Embratur e a CBF farão parceria para tornar o Brasil conhecido. Assim que a Copa do Mundo de 2010 terminar, começaremos as ações de marketing para promover o país”.