Setor de cartões é o mais rentável, aponta Austin Rating

Indústria apontou uma rentabilidade sete vezes maior que a média total do Brasil

São Paulo – O estudo de rentabilidades divulgado hoje pela Austin Rating apontou que o setor de cartões de crédito é o mais rentável da economia brasileira, assim como aconteceu em 2010 e 2011 (veja ranking completo na 2ª página).

Para calcular a rentabilidade dos setores, a agência de classificação de riscos analisou os resultados 271 empresas de capital aberto que divulgaram dados até a tarde desta quarta-feira. Essas companhias foram agregadas em setores da economia, a partir dos bancos de dado que a empresa utiliza, AustinBank e AustinCredit. No caso do setor de cartões de crédito, como a Redecard fechou capital recentemente, os dados utilizados foram os da Cielo.

A rentabilidade foi calculada pela relação do lucro líquido sobre o patrimônio líquido. Por esse indicador, o setor de cartões de crédito obteve 109,9% de retorno sobre o capital próprio, indicador mais de sete vezes maior que a média dos 32 setores analisados.

Segundo o relatório divulgado pela Austin Rating, o setor de cartões aumentou sua rentabilidade impulsionado por um maior dinamismo na economia brasileira e um maior acesso da população aos bancos.


Rentabilidade total

De maneira geral, a rentabilidade das principais empresas brasileiras foi de 8,6%, resultado menor que o número observado no mesmo período de 2011, de 9,1%. 

Segundo o relatório, apesar de ser num ritmo menor por conta da crise europeia, as empresas continuam crescendo com a ajuda de alguns estímulos aplicados pelo governo.

Entre esses incentivos, destaque para o ciclo de redução da taxa Selic, a desoneração da folha de pagamento para setores específicos e a redução do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) para automóveis e linha branca. Além disso, a maior oferta de crédito e desvalorização cambial ajudaram as companhias brasileiras.

Confira o ranking completo de rentabilidade dos setores da economia:

Colocação Setor Empresas analisadas Rentabilidade no 3º trimestre de 2012 Rentabilidade no 3º trimestre de 2011
Cartões 1 109,90% 122,50%
Tecnologia da Informação 6 48,60% 18,70%
Bebidas e Fumo 2 35,20% 32,70%
Concessões de Rodovias 14 29,20% 26,70%
Serviços Diversos 4 28,30% 29,10%
Têxtil e Confecção 8 19,20% 21,80%
Calçados 2 18,10% 17,60%
Holdings 5 14,80% 13,00%
Imobiliário 10 14,10% 7,50%
10º Bancos 19 13,50% 15,80%
11º Comércio 7 13,30% 6,00%
12º Energia Elétrica 35 12,00% 16,50%
13º Mineração 5 11,20% 25,70%
14º Seguros 2 10,70% 10,50%
15º Serviços Educacionais 3 10,50% 6,00%
16º Água e Saneamento 3 10,20% 9,40%
17º Madeira 3 10,10% 10,60%
18º Industrial 23 9,40% 12,70%
19º Aluguel de carros 3 9,20% 12,50%
20º Construção e Engenharia 15 9,00% 11,30%
21º Telecomunicações 4 9,00% 9,10%
22º Serviços de Saúde 4 7,90% 8,80%
23º Medicamentos e Outros 4 5,30% 5,30%
24º Serviços Financeiros 28 5,00% 2,10%
25º Petróleo e Gás 7 4,90% 10,70%
26º Transporte e Logística 12 4,40% 10,20%
27º Alimentos 16 3,40% 15,00%
28º Securitizadora de Recebíveis 7 3,10% 25,90%
29º Siderurgia e Metalurgia 8 2,50% 10,70%
30º Papel e Celulose 5 -1,40% -2,80%
31º Químico e Petroquímico 6 -12,50% -3,00%
         
  Total 271 9,90% 14,40%

Média
10,20% 11,30%

Mediana
15,10% 16,70%