Seca afeta safra de soja na Bahia; algodão resiste, diz Aiba

Produtividade média por hectare de soja é estimada em 44 sacas, contra 50 sacas de soja na projeção inicial

São Paulo – A Bahia deverá colher 3,4 milhões de toneladas de soja na atual temporada 2013/14, com uma redução nas produtividades em função da falta de chuvas, enquanto a produção de algodão do Estado resistiu à seca e deverá crescer na atual temporada, disse nesta quarta-feira a Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), que reúne produtores do oeste do Estado.

A produtividade média por hectare de soja é estimada em 44 sacas, contra 50 sacas de soja na projeção inicial, disse a Aiba, em nota.

“Uma redução devido ao impacto da estiagem ocorrida no mês de janeiro. Em algumas regiões, a falta de chuva se estendeu até meados de fevereiro”, afirmou a entidade.

Apesar da redução na expectativa de produtividade, a Bahia ainda colherá mais do que na temporada passada, quando a safra somou 2,7 milhões de toneladas, segundo dados do Ministério da Agricultura.

Além das variações climáticas, o ataque das lagartas Helicoverpa armigera e o do tipo Falsa Medideira também contribuíram para a redução da produtividade, disse a Aiba.

Em geral, o clima seco favorece a proliferação das lagartas, dizem especialistas.

A Aiba ressaltou também que o bom nível do manejo e o uso de alta tecnologia amenizaram as perdas climáticas.

A colheita de soja na Bahia está na fase inicial. Já foram colhidos cerca de 10 por cento da área plantada, enquanto a média do Brasil supera 50 por cento da área, segundo relatório mais recente da consultoria Safras & Mercado.


A Bahia é o sexto maior produtor de soja do país, segundo o governo federal, que estima a colheita do Estado em 3,54 milhões de toneladas nesta temporada. A safra total do país deve ser de 85,4 milhões de toneladas, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Para o algodão –no Estado que é o segundo produtor do Brasil da fibra– foi mantida a estimativa inicial de 270 arrobas por hectare. Com 305 mil hectares plantados, o algodão terá um total de produção de 1,2 milhão de toneladas (algodão em caroço), disse a Aiba.

Isso significa um crescimento de 33,2 por cento na comparação com a temporada passada, de acordo com dados do Ministério da Agricultura, após um crescimento no plantio de 17 por cento.

“Esta cultura suportou mais a estiagem por estar no início do seu ciclo vegetativo e pela grande tolerância que apresenta a déficits hídricos. A expectativa é de ótima safra, chegando aos patamares dos melhores anos da cultura no Oeste da Bahia”, afirmou a associação.

A colheita da fibra começará a partir de última semana de maio na região.

Para a safra de milho na Bahia, a estimativa é de uma colheita de 2,3 milhões de toneladas, com redução de 12 por cento na estimativa de produtividade.

“A perda de produtividade do milho, na região, foi relativamente pequena diante da grande estiagem ocorrida”, ressaltou a Aiba.