Rússia estuda fornecer energia para ajudar Grécia

Segundo o ministro da Energia russo, Aleksandr Novak, o país está estudando a possibilidade de iniciar fornecimento direto à Grécia

Moscou, 12 jul (EFE).- A Rússia analisa a possibilidade de iniciar o fornecimento direto de energia à Grécia para ajudar a recuperação da economia do país, que vive forte crise, anunciou neste domingo o ministro da Energia russo, Aleksandr Novak.

“A Rússia tem intenção de apoiar a recuperação da economia grega mediante a cooperação no setor energético. Neste sentido, estamos estudando a possibilidade de iniciar fornecimento direto”, disse Novak a jornalistas.

O ministro acrescentou que esse fornecimento pode começar muito em breve.

“Agora estamos trabalhando nisso e confiamos chegar a um acordo em poucas semanas”, afirmou, sem dar mais detalhes.

Nos últimos dias, em meio às difíceis negociações da Grécia com a União Europeia para conseguir um terceiro pacote de resgate financeiro, as autoridades russas repetiram várias vezes que Atenas não lhes pediram ajuda.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse na sexta-feira que embora seu país tenha “a possibilidade de apoiar seus aliados, a Grécia integra a União Europeia”.

Em meados de junho, Moscou e Atenas assinaram um memorando para ampliar à Grécia o gasoduto Turkish Stream, com gás russo. A Rússia vai antecipar a parte grega no financiamento do gasoduto devido aos problemas econômicos gregos.

Pouco antes, o ministro da Energia da Grécia, Panagiotis Lafazanis, afirmou que a falta de um acordo com a Europa não seria “o fim”, já que seu país poderia obter uma injeção de capital a partir de 2019 por parte da Rússia, como antecipação sobre os futuros lucros gerados pelo “Turkish Stream”.

A Rússia anunciou o projeto de um novo gasoduto através do Mar Negro até o território turco após abrir mão do South Stream, pelo qual forneceria gás a países europeus como Itália, Áustria e Hungria através da Bulgária. EFE