Rio Tinto é acusada de subornar siderúrgicas chinesas

Segundo jornal China Daily, grupo teria recebido informações privilegiada para atuar nas negociações do preço do minério de ferro

A Rio Tinto foi acusada de subornar companhias siderúrgicas chinesas pelo jornal estatal China Daily, com o intuito de ter maior controle sobre as negociações do preço do minério de ferro, cujo reajuste de 33% veio abaixo do inicialmente pedido pelas empresas.

A multinacional pouco comentou desde a crise que começou na primeira semana de julho, quando as autoridades chinesas detiveram o australiano Stern Hu, que comanda as negociações na China junto a três empregados chineses do grupo anglo-australiano.

Segundo o grupo, ainda não foi vista nenhuma evidência para apoiar as alegações chinesas de que Hu estaria envolvido em espionagem. Mas, de acordo com a notícia do jornal chinês, a Rio Tinto possuía informações sobre a indústria siderúrgica chinesa muito privilegiadas para haver obtido publicamente.

Tais informações poderiam ser utilizadas para reforçar a posição da Rio Tinto durante as negociações sobre os preços do minério de ferro com siderúrgicas chinesas.

O grupo afirmou que está apoiando os esforços do governo australiano para encontrar uma solução diplomática e se preocupa com a segurança de seus funcionários. Mas, segundo o China Daily, não há indícios de que a empresa e o governo compreendam o alcance das acusações contra os empregados.