Republicanos: EUA estão próximos da crise vivida pela Europa

Mario Díaz Balart atacou a gestão do presidente Barack Obama no plano econômico e na esfera internacional

Tampa (EUA) – O congressista republicano Mario Díaz Balart defendeu nesta quinta-feira o plano econômico do candidato à presidência por seu partido, Mitt Romney, após advertir que o país está ”a poucos anos do que está acontecendo na Espanha e na Grécia”, por não haver uma mudança no andamento da economia americana.

Durante uma entrevista coletiva na Convenção Nacional Republicana em Tampa (Flórida), Balart atacou a gestão do presidente Barack Obama no plano econômico e na esfera internacional.

”Estamos a poucos anos da quebra, estamos a poucos anos do que está acontecendo na Espanha e na Grécia”, enfatizou Díaz-Balart, que acrescentou que o candidato do partido a vice-presidente, Paul Ryan, tem experiência para ”regular a economia”.

Segundo Balart, o plano de Ryan ajudaria a fortalecer a classe média e gerar mais empregos nos EUA. No entanto, esse plano foi rejeitado pelos democratas e alguns grupos progressistas. Eles advertem que os cortes fiscais e a privatização do programa de assistência médica para idosos e aposentados vão prejudicar os mais necessitados.

Por outra parte, o congressista também reiterou os ataques feitos ontem à noite pelo senador republicano e ex-candidato presidencial, John McCain, ao afirmar que os Estados Unidos estão perdendo seu papel de liderança no mundo.

Balart citou como exemplo de um suposto enfraquecimento dos Estados Unidos o fato de o Prêmio Nobel da Paz, Lech Walesa, ”um herói pró-americano e aliado dos Estados Unidos”, ter dito ”que não se pode confiar” neste país.

O legislador também afirmou que, com Obama, ”o Irã está mais próximo” de ter uma bomba atômica, que o Oriente Médio ”está muito mais perigoso do que era antes” e que a situação na América Latina ”piorou”.

Como outros exemplos dessa suposta deterioração, Balart disse que o governo de Obama fez ”concessões” ao regime castrista e que o ”Hezbollah está na Venezuela”.