Representantes dos EUA vão visitar a China na próxima semana

O secretário do Tesouro e outras autoridades americanas tentarão fechar um acordo com a China antes do aumento das tarifas, no dia 2 de março

Washington – O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin, disse nesta quarta-feira que ele e outras autoridades norte-americanas viajarão a Pequim na semana que vem para um nova rodada de negociações comerciais, com o objetivo de fechar um acordo antes do aumento das tarifas sobre os produtos chineses em 2 de março.

Mnuchin disse em uma entrevista à CNBC que as conversas que ele e o representante de Comércio dos EUA, Robert Lighthizer, lideraram em Washington na semana passada com o vice-primeiro-ministro chinês, Liu He, foram “muito produtivas”.

“O embaixador Lighthizer, eu e uma grande equipe estamos a caminho de Pequim na semana que vem. Estamos comprometidos em continuar essas conversas”, disse Mnuchin.

“Estamos nos esforçando muito para tentar chegar a um acordo neste prazo. Então esse é o nosso objetivo.”

O presidente dos EUA, Donald Trump, disse em seu discurso do Estado da União na terça-feira que qualquer novo acordo comercial com a China “deve incluir mudanças estruturais reais para acabar com práticas comerciais desleais, reduzir nosso déficit comercial crônico e proteger os empregos norte-americanos”.

Trump prometeu aumentar as tarifas sobre 200 bilhões dólares em importações chinesas para 25 por cento, de 10 por cento atualmente, caso os dois lados não cheguem a um acordo até o dia 2 de março.

“Também estamos muito focados no comércio livre e justo para as empresas norte-americanas terem acesso e condições mais justas, o que reduzirá o déficit comercial”, disse Mnuchin.

Ele disse que os dois lados ainda têm muito a fazer para chegar a um acordo.

“Eu não acho que seria produtivo especular sobre o resultado porque temos muito trabalho a fazer … Se não podemos chegar a um acordo dentro do prazo, não é porque não trabalhamos o tempo todo”, disse Mnuchin.