Reino Unido quer reduzir 40% do gasto público até 2020

O ministro de economia britânico pediu que organismos reduzam entre 25% e 40% de seu orçamento anual

Londres – O ministro de economia do Reino Unido, George Osborne, pediu nesta terça aos organismos do governo britânico que reduzam entre 25% e 40% de seu orçamento anual com o objetivo de eliminar o déficit fiscal em 2020.

“Esta revisão de gastos é o próximo passo em nosso projeto de eliminar o déficit e conseguir um superávit”, afirmou Osborne em comunicado.

O ministro britânico, que já anunciou cortes no início de julho, pediu aos departamentos do estado – saúde, educação, defesa e cooperação internacional ficaram de fora – que encontrem formas de reduzir seus gastos para alcançar a meta de economizar 20 bilhões de libras (99 bilhões) antes do fim da década.

Nesta terça-feira, o Escritório Nacional de Estatísticas (ONS) informou que o endividamento público do Reino Unido diminuiu em junho 800 milhões de libras, e alcançou o nível mais baixo para um mês de junho desde 2008, dado que mostra que o Executivo do conservador David Cameron está avançando na redução do déficit fiscal.

No início de julho, Osborne afirmou que na primeira fase de cortes os recursos sociais cairão 12 bilhões de libras em três anos, com a eliminação da ajuda de habitação para menores de 21 anos e a transformação da bolsa de estudos de manutenção para universitários sem recursos em empréstimos.

A intenção é reduzir progressivamente o déficit fiscal, e também a evasão fiscal, até conseguir um superávit de 0,4% na receita entre 2019-2020, um ano depois do previsto.