Reino Unido anuncia pacote de 330 bilhões de libras em empréstimos

Reino Unido também lançou um programa de concessão de 20 bilhões de libras em isenção de impostos e subsídios a empresas

O Reino Unido anunciou na tarde desta quinta-feira, 17, que disponibilizará 330 bilhões de libras em empréstimos “garantidos” às empresas – montante que representa 15% do Produto Interno Bruto (PIB) britânico – como forma de mitigar os impactos econômicos da pandemia de coronavírus.

Além disso, o ministro de Finanças, Rishi Sunak, revelou que o governo fez um acordo com o Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) para prover liquidez aos mercados, embora não tenha esclarecido se o pacto se refere ao mais recente corte de juros da autoridade monetária local ou a alguma ação futura. Sunak ressaltou que pode anunciar ainda mais medidas de estímulo em breve.

Sunak também lançou um programa de concessão de 20 bilhões de libras em isenção de impostos e subsídios a empresas. Cada uma delas poderá receber até 25 mil libras, a depender de seu tamanho. Um pacote de apoio às empresas aéreas também está em estudo, de acordo com o ministro. “Vamos seguir apoiando empresas e geração de emprego. Vamos fazer o que for preciso para apoiar a economia”, declarou, em coletiva de imprensa. “Não tenho dúvidas de que nossas empresas vão se recuperar de choques”, completou, em seguida, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson.

Além disso, o governo pretende suspender por três meses o pagamento de hipotecas daqueles que estiverem contaminados pela covid-19. “Este é um esforço extraordinário para colocar liquidez na economia neste momento”, disse o premiê, para quem uma das metas, neste momento, é evitar uma sobrecarga do NHS (sistema de saúde local).

De acordo com o ministro das Finanças, o Reino Unido nunca viveu uma “guerra econômica” como a travada contra o coronavírus.

Financiamento de “commercial paper”

O governo anunciou que terá um instrumento de financiamento “commercial paper”, por meio de uma parceria firmada entre o Tesouro britânico e o Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês). O objetivo do programa, batizado de CCFF (Covid Corporate Financing Facility), é aumentar a liquidez dos mercados em meio à pandemia do novo coronavírus. Os detalhes das medidas de estímulo, contudo, serão fornecidos apenas amanhã.

O programa será voltado a empresas que demonstrem que estavam em boa saúde financeira antes do choque do coronavírus e deve durar pelo menos doze meses, como forma de apoiar a economia local. “Embora a magnitude do choque econômico da covid-19 seja altamente incerta, é provável que a atividade enfraqueça materialmente no Reino Unido nos próximos meses”, diz comunicado do BoE enviado à imprensa. “Interrupções temporárias, mas significativas, das cadeias de suprimentos e atividades mais fracas podem desafiar os fluxos de caixa e aumentar a demanda por capital de giro das empresas”, completa a nota.