Queda surpreendente de desemprego nos EUA em novembro

O indicador retrocedeu 0,3 ponto em um mês para se estabelecer em 4,6%, enquanto os analistas estimavam que permaneceria sem mudanças

A taxa de desemprego nos Estados Unidos caiu em novembro ao seu nível mais baixo desde agosto de 2007, em um contexto de criação de empregos dinâmicos, informou nesta sexta-feira o Departamento do Trabalho.

O indicador retrocedeu 0,3 ponto em um mês para se estabelecer em 4,6%, enquanto os analistas estimavam que permaneceria sem mudanças.

Consequentemente, em novembro houve uma queda líquida do número de desempregados nos Estados Unidos (-387.000), situando o total em 7,4 milhões.

O saldo líquido de novos empregos se situou em 178.000 em novembro, contra 142.000 em outubro.

O setor de serviços foi novamente o mais dinâmico, com 63.000 empregos a mais em novembro, principalmente na divisão de seguro por doença. Pelo contrário, o setor manufatureiro perdeu quatro mil postos de trabalho no mês.

Desde o início do ano, os Estados Unidos evoluíram em torno de uma média de 180.000 novos empregos por mês, uma queda em relação há um ano, mas o suficiente para continuar reduzindo a taxa de desemprego, segundo o Departamento do Trabalho.

A incerteza que precedeu a eleição de 8 de novembro e a surpreendente vitória do candidato republicano Donald Trump parecem não ter tido efeito sobre o mercado de trabalho.

A diminuição da taxa de desemprego pode ser explicada, em parte, por razões negativas, como a nova redução da população ativa, que perdeu 226.000 pessoas em novembro.

Mas isso também se deve aos ativos que se aposentam, além do fato de que trabalhadores que optam por não procurar emprego são excluídos das estatísticas.