Queda de 1,08% do IGP-M de dezembro é a mais forte da série, diz FGV

A série histórica teve inicio em 1989, porém até 1993, período de hiperinflação, o IGP-M atingiu nos meses de dezembro níveis expressivos demais

São Paulo – A deflação de 1,08 por cento do Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) de dezembro é a mais intensa desde que o levantamento do indicador começou a ser feito pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), informou o economista André Braz, do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da FGV.

A série histórica teve inicio em 1989, porém até 1993, período de hiperinflação, o IGP-M atingiu nos meses de dezembro níveis expressivos (47,13 por cento, 18,00 por cento, 23,63 por cento, 25,08 por cento e 38,32 por cento, respectivamente).

Depois, passou a registrar resultados mais brandos. Por isso, a FGV considera 1994, quando foi criado o Plano Real, o início da nova série. “Antes, a inflação estava elevadíssima”, relembra.

Veja também

De acordo com Braz, grande parte da queda do IGP-M em dezembro deveu-se aos preços no atacado.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) cedeu 1,67 por cento após -0,81 por cento em novembro. Esse recuo foi puxado tanto pelos preços industriais, que caíram 1,77 por cento (de -0,24 por cento) quanto pelos agropecuários, que tiveram declínio de 1,35 por cento (-2,51 por cento).