Quanto vale a rainha para a economia da Inglaterra?

Elizabeth II já tem o mais longo reinado da monarquia britânica e sua contribuição para a economia do país passou de US$ 1 bilhão só este ano

São Paulo – A Rainha Elizabeth II bateu um recorde.

No trono desde 06 de fevereiro de 1952, ela superou o reinado de 23.226 dias, 16 horas e 23 minutos da Rainha Vitória.

O valor histórico é claro, mas qual é o valor financeiro desta figura para a economia do Reino Unido? Foi esta a pergunta que a consultoria Brand Finance tentou responder.

Eles calcularam o valor criado em estímulo ao turismo, marcas associadas à realeza e ganhos com propriedades. Depois, subtraíram os custos de itens como manter os palácios e a segurança (veja os números).

O resultado: uma contribuição anual de US$ 1,76 bilhão em 2015 para um valor líquido de US$ 36,7 bilhões, que chega a US$ 56,7 bilhões se levado em conta também o valor de ativos tangíveis (como as jóias da coroa).

“Se a monarquia é uma forma apropriada e justa de governo no século XXI certamente continua aberto a questionamento. Mas o que a pesquisa da Brand Finance mostra é que de um ponto de vista econômico, pelo menos, os monarquistas levam a vantagem”, diz David Haigh, executivo-chefe da empresa.

Quando Charlotte Elizabeth Diana nasceu em maio, o Centro de Pesquisa do Varejo calculou um estímulo inicial na economia britânica de cerca de 80 milhões de libras (R$ 372,8 milhões).

O nascimento de uma princesa foi boa notícia para a indústria da moda do Reino Unido, que vai poder contar com uma embaixadora observada e copiada o tempo todo.

Só este estímulo pode chegar a 150 milhões de libras por ano, ou mais de 1 bilhão ao longo de uma vida. O nascimento do príncipe George em julho de 2013 movimentou 247 milhões de libras em 9 semanas, segundo o mesmo Centro de Pesquisa do Varejo.