Qualidade da matéria-prima faz moagem de cana cair 22%

De acordo com a entidade, a queda decorre da redução na disponibilidade de açúcares disponíveis em cada tonelada de cana-de-açúcar

São Paulo – A quantidade de cana-de-açúcar processada na safra atual, até a primeira quinzena de julho, pelas usinas da região centro-sul do país, totalizou 170,5 milhões de toneladas. O resultado representa um recuo de 21,8% em comparação à moagem no mesmo período do ano passado (218,2 milhões de toneladas). O balanço foi divulgado hoje (25) pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica).

De acordo com a entidade, a queda decorre da redução na disponibilidade de açúcares disponíveis em cada tonelada de cana-de-açúcar. A entidade aponta que o excesso de chuvas em maio e junho prejudicou a qualidade da matéria-prima. No acumulado da safra, até 16 de julho, o teor de açúcares na matéria-prima atingiu 121,42 quilos (kg), abaixo dos 125,69 kg obtidos no mesmo período do ano anterior.

De toda cana-de-açúcar processada até a segunda quinzena de julho, 52,7% destinaram-se à produção de etanol. Foram 6,4 bilhões de litros produzidos (26,4% a menos em comparação ao mesmo período do ano anterior), dos quais 2,1 bilhão de litros de etanol anidro (queda de 32,6% em relação ao ano passado) e 4,2 bilhões de litros de etanol hidratado (recuo de 22,8%).

Já a produção de açúcar alcançou 9,3 milhões de toneladas, contra 11,9 milhões de toneladas apuradas no ano passado, o que representa baixa de 22,2%.

O volume de cana-de-açúcar processado somente na primeira quinzena de julho somou 42,18 milhões de toneladas, crescimento de 3,94% em relação ao resultado da mesma quinzena de 2011. Foi a primeira vez, na safra atual, que uma moagem quinzenal superou a verificada no mesmo período da safra anterior.