Putin assegura que Rússia superou o pior da crise econômica

Entre as conquistas, Putin destacou que observa "estabilidade no mercado de trabalho" e que o desemprego está em torno de 5,6%

Moscou – O presidente da Rússia, Vladimir Putin, afirmou nesta quinta-feira que o país superou o pior momento da crise e que há “sinais de estabilização” da atividade econômica, em sua tradicional entrevista coletiva anual.

Entre as conquistas, Putin destacou que observa “estabilidade no mercado de trabalho” e que o desemprego está em torno de 5,6%.

“Se lembrarmos (a crise de) 2008, se trata de um resultado positivo, fruto do trabalho do governo”, acrescentou.

Ele admitiu que as trocas comerciais do país diminuíram, mas destacou que apresenta um saldo favorável “bastante importante”, que avaliou em US$ 126,3 bilhões.

“Diminuiu a fuga de capitais. Mais até, no terceiro trimestre deste ano foi registrado investimento”, disse Putin.

O presidente russo ressaltou como indicador muito positivo a diminuição da dívida externa.

“É o outro lado da moeda das chamadas sanções”, disse Putin, em referência às restrições econômicas ocidentais impostas a Moscou por causa de seu envolvimento na crise ucraniana.

O presidente russo se mostrou satisfeito com a gestão de governo do primeiro-ministro Dmitri Medvedev e descartou mudanças no Gabinete.

“Não estão previstas mudanças, pelo menos significativas”, ressaltou Putin, acrescentando que nem sempre as mudanças são boas.

“Se alguém não fizer bem seu trabalho, eu também sou responsável por isso, considero que também tenho parte de culpa”, disse.

Um total de 1.392 jornalistas foram credenciados para a entrevista coletiva anual do presidente russo, a 11ª neste formato, que é transmitida ao vivo pelas principais redes de rádio e televisão do país.