PSDB defende reestruturação da dívida de SP

José Serra registrou nesta quarta seu programa de governo e citou a dívida do município com o governo federal

São Paulo – O candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, José Serra, registrou nesta quarta seu programa de governo no Tribunal Regional Eleitoral (TRE), com as linhas gerais de suas propostas para a cidade de São Paulo.

“A parceria da cidade com a União merece ser ampliada em razão da enorme contribuição dos paulistanos (…) a reestruturação da dívida da Prefeitura com o governo federal, ora em curso, será o primeiro passo para alcançar esse objetivo”, defende o tucano em seu programa.

Na apresentação de suas propostas, Serra ressalta sua experiência política e critica os candidatos “que chegam de garupa ou esperam cair de paraquedas na Prefeitura”, numa menção indireta aos adversários que disputam o atual pleito pela primeira vez, como o petista, Fernando Haddad, que usa o mote do “novo” em sua campanha. “Administrar com inovação, planejamento e capacidade de gestão e realização não é tarefa que se resolva por tentativa e erro, ou que se possa cumprir por simples apadrinhamento. O passado mostra o risco para a cidade dos que chegam de garupa ou esperam cair de paraquedas na prefeitura.”

No programa são ressaltadas as ações de sua própria administração, ocorrida entre 2005 e 2006, e do atual prefeito, Gilberto Kassab (PSD), que o sucedeu no cargo. Realizações como o programa Cidade Limpa, Virada Cultural, o aumento de 3,5 vezes nas vagas de creches e a recuperação financeira da cidade são exaltados no programa. “Nossa cidade avançou, bastante, mas precisa ir mais longe”, prega.

As linhas gerais do programa propõem melhorar os serviços públicos, construir novos polos de desenvolvimento na cidade, investir nos transportes e na segurança pública inteligente, implantar o Plano Municipal de Habitação, além de atrair investimentos e incrementar o turismo, entre outros.

No final do documento, Serra afirma que as propostas serão debatidas ao longo da campanha. “Recolheremos ideias e opiniões, em grupos de discussão, nas visitas aos bairros e entidades, nas redes sociais, em toda a cidade”.