Produção industrial cresceu em 11 dos 15 locais pesquisados

Maiores avanços foram no Amazonas (7,8%) e no Pará (6,8%) e quedas foram no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Espírito Santo e Bahia

São Paulo — A produção da indústria cresceu em 11 dos 15 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na passagem de julho para agosto deste ano. Segundo a Pesquisa Industrial Mensal Regional, os maiores avanços ocorreram no Amazonas (7,8%) e no Pará (6,8%).

Outros locais que registraram expansão foram São Paulo (2,6%), Ceará (2,4%), Pernambuco (2,1%), Rio de Janeiro (1,3%), Mato Grosso (1,1%), Minas Gerais (1%), Paraná (0,3%), Região Nordeste (0,2%) e Goiás (0,2%).

Quatro locais tiveram queda: Rio Grande do Sul (-3,4%), Santa Catarina (-1,4%), Espírito Santo (-1,4%) e Bahia (-0,1%).

Queda

Já em relação a agosto de 2018, oito localidades apresentaram queda, segundo os dados da Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física Regional, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira, 8.

No entanto, em São Paulo, maior parque industrial do País, houve um avanço de 0,7%. Os demais acréscimos ocorreram no Amazonas (13,0%), Pará (12,8%), Rio de Janeiro (4,5%), Paraná (2,3%), Goiás (0,5%) e Ceará (0,5%).

Por outro lado, houve perdas na indústria do Espírito Santo (-16 2%), Região Nordeste (-10,1%), Bahia (-9,3%), Pernambuco (-9,2%) Mato Grosso (-6,5%), Minas Gerais (-6,5%), Rio Grande do Sul (-6,3%) e Santa Catarina (-3,1%). Segundo o IBGE, houve contribuição negativa do efeito calendário, uma vez que o mês de agosto de 2019 teve um dia útil a menos do que agosto de 2018.

Na média global, a indústria nacional encolheu 2,3% em agosto deste ano ante agosto do ano passado.