A recuperação da produção industrial vai continuar?

O IBGE divulga a produção industrial de junho e as projeções dos economistas vão de uma alta de 0,5% a uma queda de 0,9%, em comparação com o mês anterior

A terça-feira traz um dado essencial para medir o quanto a crise política iniciada com a delação dos irmãos Batista (em maio) ainda afeta a economia do país. O IBGE divulga a produção industrial de junho e as projeções dos economistas vão de uma alta de 0,5% a uma queda de 0,9%, em comparação com o mês anterior. A mediana das estimativas compiladas pela Bloomberg é de um avanço de 0,1%, na comparação com maio.

Às Sete – um guia rápido para começar seu dia

Leia também estas outras notícias da seção Às Sete e comece o dia bem informado:

Se um crescimento vier, será o terceiro mês seguido de alta — o que corrobora o discurso do governo de que, apesar do cenário político tumultuado, a economia brasileira segue em recuperação. Mas dados já divulgados, como a produção de veículos, de papelão e de aço mostraram baixa em junho. A confiança da indústria também teve um recuo em junho, de 2,8 pontos — levando o índice para os 89,5 pontos, o menor nível desde fevereiro de 2016.

“A incerteza política afetou os dados de junho, mas é um obstáculo temporário na recuperação, não uma nova trajetória”, diz Luiz Castelli, economista da GO Associados.

A crise política fez a consultoria revisar a expansão industrial para este ano de 1,7% para 1,2%. Mas, para Castelli, a alta da bolsa em julho mostra como o cenário tende a ser de melhora em todos os ambientes nos próximos meses. O Ibovespa subiu quase 5% em julho, enquanto o dólar caiu 5,87% — chegando ao menor patamar desde 16 de maio (antes da delação dos Batista).