Produção de cloro cai 1,6% no 1º trimestre, diz Abiclor

A produção de soda cáustica também caiu 1,6% no mesmo período

São Paulo – A produção de cloro teve variação negativa de 1,6% de janeiro a março deste ano, atingindo 313.790 toneladas, na comparação com o mesmo período de 2014, de acordo com a Associação Brasileira de Cloro, Álcalis e Derivados (Abiclor).

A produção de soda cáustica também caiu 1,6% no mesmo período, para 346.311 toneladas.

O cloro e a soda abastecem mais de 16 setores da atividade econômica, atendendo à demanda de diferentes segmentos das indústrias de defensivos agrícolas, limpeza, papel e celulose, componentes eletrônicos, metalurgia, têxtil, tratamento de água, entre outras.

O consumo setorial de cloro (vendas totais somadas ao uso cativo dos próprios produtores para obtenção de dicloretano e óxido de propeno, entre outros) caiu 1,7% no período. Já as vendas totais do produto tiveram aumento de 2,7%, para 41.893 toneladas.

A importação de soda recuou 1,4%, para 275.034 toneladas e as vendas internas aumentaram 3,1%, para 306.152 toneladas.

O nível de capacidade instalada da indústria foi de 83,8%, ou seja, 2,7% menor que no mesmo trimestre de 2014.

“Se as condições adversas da economia forem mantidas, o setor deverá continuar operando com baixo nível de utilização de sua capacidade instalada nos próximos meses”, afirma o presidente da Abiclor, Aníbal do Vale.