Previdência registra déficit de R$ 11,763 bi em setembro

No acumulado do ano até setembro, déficit alcança R$ 48,042 bilhões, que é o saldo entre despesas de R$ 264,337 bilhões e receitas de R$ 216,295 bilhões

Brasília – A Previdência Social encerrou setembro com um déficit de R$ 11,763 bilhões, resultado da diferença entre R$ 36,788 bilhões de despesas com benefícios e R$ 25,025 bilhões com arrecadação. Conforme divulgação do Ministério da Previdência Social na noite desta sexta-feira, 25, no acumulado do ano até setembro, o déficit alcança R$ 48,042 bilhões, que é o saldo entre despesas de R$ 264,337 bilhões e receitas de R$ 216,295 bilhões.

Sozinho, o setor urbano teve uma arrecadação de R$ 24,491 bilhões no mês passado e despesas de R$ 29,383 bilhões, o que gerou um saldo negativo de R$ 4,891 bilhões. A previdência rural, em setembro, arrecadou R$ 533,6 milhões e teve despesas de R$ 7,405 bilhões, gerando um déficit de R$ 6,871 bilhões. Nas despesas da previdência rural do período está incluída a antecipação de R$ 1,3 bilhão do 13º salário aos beneficiários que recebem acima de um salário mínimo.

Em relação ao setor urbano, a Previdência destaca que a arrecadação de quase R$ 24,5 bilhões em setembro é o segundo maior valor da série histórica, desconsiderando os meses de dezembro em que há incremento de receita por causa do 13º salário. Em relação a setembro de 2012, houve crescimento de 9,8%. O valor do mês inclui R$ 979,3 milhões de repasses do Tesouro Nacional para compensar a desoneração das folhas de pagamento de alguns setores da economia, ressalta a Previdência.

Já a despesa com pagamento de benefícios urbanos de R$ 29,4 bilhões representa um aumento de 6,3% em relação a setembro do ano passado. O aumento na despesa ocorreu pelo pagamento de R$ 8,6 bilhões, referente à antecipação da primeira parcela do 13º salário.

No ano, o déficit da Previdência Social alcança R$ 48,042 bilhões, refletindo uma arrecadação de R$ 216,295 bilhões e despesas de R$ 264,337 bilhões. Os números estão atualizados pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). A previdência urbana, sozinha, apresenta superávit de R$ 7,306 bilhões no acumulado de janeiro a setembro, com arrecadação de R$ 211,753 bilhões e despesas de R$ 204,446 bilhões. Os números são do fluxo de caixa do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

No acumulado dos últimos 12 meses, ou seja, de outubro de 2012 a setembro de 2013, o resultado da Previdência Social está negativo em R$ 49,807 bilhões. Isso reflete arrecadação de R$ 303,277 bilhões e despesas com benefícios de R$ 353,085 bilhões.

No mês passado, a Previdência Social pagou 30,821 milhões de benefícios, sendo 69,5% do montante referentes a valores de até um salário mínimo, ou um contingente de 21,4 milhões de beneficiários.