Prévia do IGP-M indica deflação, após 4 meses de altas

Em novembro, a segunda prévia mostrou alta de 0,40%

Rio – Após quatro meses com taxas positivas, a segunda prévia do IGP-M voltou a mostrar deflação. O indicador caiu 0,07% em dezembro, segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Em novembro, a segunda prévia mostrou alta de 0,40%. O resultado ficou abaixo das estimativas dos analistas do mercado financeiro consultados pelo AE-Projeções (de zero a 0,15%), com mediana das expectativas em 0,07%.

Nos três indicadores que compõem a segunda prévia do IGP-M de dezembro, o IPA-M caiu 0,38% na prévia anunciada hoje, após subir 0,44% em igual prévia do mesmo índice em novembro. Por sua vez, o IPC-M teve alta de 0,59% na segunda prévia deste mês, em comparação com a taxa positiva de 0,30% na segunda prévia do mês passado. Já o INCC-M registrou taxa positiva de 0,43% na segunda prévia do indicador deste mês, após registrar elevação de 0,37% na segunda prévia de novembro.

A taxa acumulada do IGP-M é usada no cálculo de reajuste nos preços dos aluguéis. Até a segunda prévia de dezembro, o IGP-M acumula aumento de 5,15% no ano. O período de coleta de preços para cálculo da segunda prévia do IGP-M deste mês foi do dia 21 de novembro a 10 de dezembro.

Setor agropecuário

A deflação voltou ao setor agropecuário atacadista, que mostrou queda de 0,77% na segunda prévia do IGP-M de dezembro, frente à elevação de 0,49% apurada na segunda prévia do mesmo índice em novembro. Os preços dos produtos industriais assumiram trajetória idêntica a dos agrícolas, e caíram 0,24% na segunda prévia de dezembro, em comparação com a alta de 0,42% na segunda prévia de novembro.


No âmbito do Índice de Preços por Atacado segundo Estágios de Processamento (IPA-EP), que permite visualizar a transmissão de preços ao longo da cadeia produtiva, os preços dos bens finais subiram 0,62% na segunda prévia de dezembro, após alta de 0,39% na segunda prévia de novembro.

Já os preços dos bens intermediários apresentaram queda de 0,13% na prévia divulgada hoje, em comparação com a elevação de 0,31% na segunda prévia do IGP-M de novembro. Por fim, os preços das matérias-primas brutas tiveram taxa negativa de 1,81% na segunda prévia de dezembro, em comparação com a elevação de 0,65% na segunda prévia de novembro.