Premiê japonês não vê necessidade de alterar meta de inflação

Shinzo Abe afirmou também que espera que o BoJ mantenha sua agressiva política de estímulos monetários para atingir a meta de inflação

Tóquio – O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, disse nesta terça-feira não ver necessidade de alterar a meta de inflação de 2% do banco central japonês, embora o ritmo de avanço dos preços continue moderado apesar da atual política de relaxamento monetário do BoJ, como é conhecida a instituição.

“Acredito que o acordo (entre o governo e o BoJ de buscar inflação de 2%) ainda é válido e não vejo necessidade de fazer quaisquer alterações”, afirmou Abe a uma comissão parlamentar.

Abe disse ainda esperar que o BoJ mantenha sua agressiva política de estímulos monetários para atingir a meta de inflação, mas ressaltou que dependerá do BC japonês como o objetivo será alcançado.

Falando à mesma comissão, o presidente do BoJ, Haruhiko Kuroda, defendeu a atual estrutura de acomodação monetária da instituição.

“Não acho que a função de intermediação dos bancos japoneses tenha sido prejudicada” pelo relaxamento monetário do BoJ, declarou Kuroda, em resposta a um parlamentar oposicionista. Fonte: Dow Jones Newswires.