Preços no atacado e varejo pesam e IGP-M acelera alta a 1,26% em março

Índice de Preços ao Produtor Amplo, que responde por 60% do índice geral e apura a variação dos preços no atacado, teve alta de 1,67%

São Paulo — A inflação medida pelo Índice Geral de Preços Mercado (IGP-M) acelerou em março para 1,26% de uma taxa de 0,88% anotada em fevereiro, divulgou nesta quarta-feira, 27, a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Com o avanço de março, o IGP-M passou a acumular no ano alta de 2,16% e elevação de 8,27% no período de 12 meses encerrado neste período.

O IGP-M de março na margem ficou dentro do intervalo das expectativas do mercado colhidas pelo Projeções Broadcast, de 0,99% A 1,40%, mas um pouco acima da mediana de 1,25%.

A abertura do IGP-M mostra uma aceleração de 0,45 ponto porcentual no Índice de Preços no Atacado (IPA), para 1,67% este mês ante uma elevação de 1,22% em fevereiro.

O procedimento revela também uma alta de 0,58% no Índice de Preços ao Consumidor (IPC-M), mais que o dobro da alta de 0,26% registrada em fevereiro. Já o INCC-M repetiu a variação de 0,19% verificada em fevereiro.

Outros índices

No mês, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que responde por 60 por cento do índice geral e apura a variação dos preços no atacado, teve alta de 1,67 por cento, depois de subir 1,22 por cento em fevereiro.

No IPA, o destaque partiu do movimento dos Bens Intermediários, que mostrou avanço de 0,87 por cento, ante recuo de 0,35 por cento. Vale mencionar o comportamento do subgrupo materiais e componentes para a manufatura.

Os preços agropecuários medidos pelo IPA Agrícola subiram 3,90% na leitura do IGP-M de março; em fevereiro, havia subido 2,71%. Na mesma direção, o IPA Industrial avançou 0,83%, ante elevação de 0,74% no mês anterior.

Os Bens Finais tiveram seus preços aumentados em 1,93%, em média, ante 1,19% no mês passado e os Bens Intermediários avançaram 0,87% ante uma queda de 0,35% no mês passado. As matérias-primas brutas desaceleraram a 2,33% no IGP-M deste mês após alta de 3,23%.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que tem peso de 30 por cento no índice geral, acelerou a alta ao subir 0,58 por cento em março, de 0,26 por cento no mês anterior. A principal contribuição partiu do grupo Transportes, que avançou 0,82 por cento, depois de ter permanecido estável no levantamento anterior.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), por sua vez, repetiu a taxa do mês anterior, com alta de 0,19 por cento. O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis.