Preços de alimentação e bebidas subirão em agosto

Economista destaca queda de 0,29% de veículos novos: "isso deve estar diretamente relacionado ao enfraquecimento do nível de atividade", diz.

São Paulo – A economista e sócia da Tendências Consultoria, Alessandra Ribeiro, afirmou nesta sexta-feira, 08, ao Broadcast, serviço de informações em tempo real da Agência Estado, que o grupo alimentação e bebidas deverá apagar a contribuição negativa de 0,15% em julho no âmbito do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e voltará a registrar alta em agosto, com previsão de avanço de 0,31%.

Para ela, o indicador oficial de inflação no país deverá não mais apresentar uma alta de 0,25% neste mês, previsto até antes da divulgação do IPCA de julho hoje, mas sim uma alta um pouco maior, ao redor de 0,30%.

“Avaliamos que hotéis apresentariam uma contribuição mais favorável ao IPCA em agosto. Contudo, ela já ocorreu em julho e antecipou essa suavização”, afirmou.

Segundo Alessandra, os grupos Transportes e Despesas Pessoais foram bem importantes para o resultado de apenas 0,01% do IPCA em julho, pois foram responsáveis pela retirada de 0,17 ponto porcentual do índice.

Chamou atenção da economista, em especial, a queda de 0,29% de veículos novos. “Isso deve estar diretamente relacionado ao enfraquecimento do nível de atividade”, diz.

A economista destacou ainda que a média dos núcleos do IPCA apresentou desaceleração, passando de 0,63% em junho para 0,25% em julho.

“O índice de difusão atingiu no mês passado 58,7%, o menor desde setembro de 2013, quando ficou em 57,8%”, acrescenta. Apesar do índice fraco da inflação oficial no mês passado, a Tendências mantém a projeção de alta do IPCA de 6,3% para 2014.