Preços ao consumidor dos EUA sobem dentro do esperado em maio

O índice de preços ao consumidor em maio subiu 0,2 %, mesmo movimento de abril, e nos 12 meses até maio, o indicador aumentou 2,8%

Washington- Os preços ao consumidor nos Estados Unidos tiveram leve alta em maio, em meio a uma desaceleração no ritmo dos aumentos no custo da gasolina, apontando para pressões inflacionárias moderadas.

O Departamento de Trabalho dos EUA informou nesta terça-feira que seu índice de preços ao consumidor subiu 0,2 por cento, mesmo movimento de abril, uma vez que os preços dos alimentos ficaram inalterados. Nos 12 meses até maio, o indicador aumentou 2,8 por cento, o maior avanço desde fevereiro de 2012, após ter subido 2,5 por cento no mês anterior.

Excluindo os componentes voláteis de alimentos e energia, o índice subiu 0,2 por cento, apoiado por uma recuperação nos preços dos veículos novos e no custo com saúde, após ter subido 0,1 por cento em abril.

O núcleo do índice de preços ao consumidor subiu 2,2 por cento na base anual, o maior aumento desde fevereiro de 2017, ante 2,1 por cento em abril.

Economistas projetavam que tanto os preços ao consumidor quanto o núcleo aumentariam 0,2 por cento em maio.

Os dados de inflação foram publicados antes do início da reunião de política monetária do Federal Reserve nesta terça-feira. O banco central dos EUA acompanha uma medida de inflação diferente, que está um pouco abaixo da meta de 2 por cento.

O Fed deverá aumentar a taxa de juros pela segunda vez este ano na quarta-feira. Os economistas estão divididos sobre se as autoridades monetárias sinalizarão mais um ou dois aumentos dos juros em seu comunicado.

Economistas esperam que o núcleo do índice de preços PCE ultrapasse os 2 por cento este ano, e as autoridades do Fed indicaram que não estariam muito preocupadas se a inflação ultrapassar a meta.

No mês passado, os preços da gasolina subiram 1,7 por cento, após alta de 3 por cento em abril. Os preços dos alimentos ficaram inalterados em maio, após subirem 0,3 por cento no mês anterior. Os alimentos consumidos em casa caíram 0,2 por cento.

Os custos com saúde aumentaram 0,2 por cento depois de subirem 0,1 por cento em abril. Os preços dos veículos novos avançaram 0,3 por cento, após queda de 0,5 por cento em abril.