Preço do aço atinge máxima de 9 meses na China

Maior consumidor mundial, China recupera a economia e preço do aço salta para mais de 2%

Singapura – Os futuros do aço em Xangai saltaram mais de 2 por cento para a máxima de nove meses nesta segunda-feira, apoiados por uma melhor projeção de demanda na China, maior consumidor do mundo, onde a economia recupera fôlego.

A alta do preço do aço pode incentivar o apetite por minério de ferro nesta semana, antes das usinas chinesas interromperem a produção em função do Ano Novo lunar, e mais traders podem assumir posições com a esperança de que a demanda por aço vai se acelerar após o feriado, que dura uma semana.

O contrato de vergalhão mais negociado na bolsa de Xangai, para entrega em maio atingiu a máxima da sessão a 4.235 iuans por tonelada (680 dólares), maior nível desde maio de 2012.

“Estão crescendo as expectativas de que a demanda chinesa por aço será mais forte depois do feriado, mas eu não estou muito seguro de que os preços do aço tenham subido o suficiente para sustentar uma alta ainda maior do minério de ferro”, disse um trader de minério sediado em Xangai.

Algumas siderúrgicas podem ainda estar perdendo de 100 a 200 iuans por tonelada, após os preços do minério terem ultrapassado o aço, ele disse, acrescentando que alguns produtores podem estar saindo do mercado à vista, uma vez que os preços da matéria-prima se aproximam do pico de 2013, de 158,50 dólares por tonelada, atingido em 8 de janeiro, o valor mais alto em 15 meses.

A referência do minério com 62 por cento de teor de ferro subiu 0,65 por cento nesta segunda-feira, a 154,20 dólares por tonelada, o maior valor desde 14 de janeiro, segundo o Steel Index.

Nos atuais preços, o minério de ferro subiu cerca de 77 por cento desde as mínimas de setembro, enquanto o futuro do aço em Xangai subiu cerca de 31 por cento.

A australiana Aquila Resources congelou um projeto de minério de ferro avaliado em 7,4 bilhões de dólares australianos (7,7 bilhões de dólares) pelo menos até junho, devido às dificuldades de financiamento decorrentes dos custos em alta e volatilidade no preço das commodities.

O projeto West Pilbara, no Estado da Austrália Ocidental, é um dos vários que pararam desde o ano passado no país, maior exportador mundial de minério de ferro, diante do esfriamento na demanda chinesa.