Posse de cheque e cartões cai entre 2010 e 2013, diz BC

O único item financeiro que apresentou crescimento no período foi conta corrente, que passou de 51% para 52%

Brasília – A posse de cheque e de cartão de crédito e débito recuou entre 2010 e 2013 no Brasil. Segundo a pesquisa “O brasileiro e sua relação com o dinheiro”, divulgada nesta quarta-feira, 2, pelo Banco Central, o único item financeiro que apresentou crescimento no período foi conta corrente, que passou de 51% para 52%.

Conta poupança apresentou estabilidade, em 42%. O cheque recuou de 14% para 7%; o cartão de débito, de 43% para 35%; o de crédito, de 43% para 39%.

A pesquisa constatou que a posse desses itens é maior entre as pessoas de maior classe social e escolaridade.

O BC ainda avaliou que o número de pessoas que recebem salário em espécie é elevado, apesar de ter registrado um recuo ao passar de 55% para 51% de 2010 para 2013. Esse tipo de situação é mais frequente entre “os mais jovens e os menos favorecidos”.

Entre os que recebem o salário em conta, a maioria faz a retirada em caixa eletrônico. O estudo também questionou onde as pessoas carregam o dinheiro. A opção na carteira recuou de 61% para 57%.

A pesquisa foi feita entre 2010 e 2013, anos em que foram realizadas 1.044 e 1.012 entrevistas finais, respectivamente, tendo sido contempladas todas as 26 capitais brasileiras e Distrito Federal.