Porta-voz: Bolsonaro decidirá se terá condições de avaliar Previdência

Segundo o porta-voz da presidência, celeridade para tratar da Previdência deve depender da recuperação de Bolsonaro

Brasília – O presidente Jair Bolsonaro não comentou se pretende manter as datas de 19 a 21 de fevereiro para o envio da proposta de reforma da Previdência ao Congresso, disse nesta quarta-feira o Porta-voz da Presidência, Otávio de Rego Barros, mas no período de repouso poderá avaliar se tem condições de analisar as propostas.

“Ele ainda passará por um período de descanso, mas ao longo deste período ele terá a capacidade de autoavaliar-se e a partir dessa autoavaliação ver se vai se debruçar de pronto nessa questão”, disse o porta-voz, após confirmar que Bolsonaro deixara o hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde estava internado desde o final de janeiro.

“Naturalmente ele está muito preocupado e entende que o timimg precisa ser considerado.”

A data tem sido prometida pela equipe econômica, mas com a ressalva que as propostas precisam antes ser analisadas pelo presidente.

De acordo com o porta-voz, Bolsonaro deve permanecer em respouso pelo menos durante esta semana.

Segundo o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente, o ministro da Economia, Paulo Guedes, deve discutir a reforma com Bolsonaro já na quinta-feira-feira.