Por que o Citi acha que o PIB cresce 1,4% em 2012?

“A recuperação econômica nos últimos meses está sendo modesta considerando todo o estímulo econômico dado até agora”, diz relatório

São Paulo – O Citi rebaixou novamente sua expectativa de crescimento do PIB brasileiro em 2012. O banco acredita que a economia irá crescer 1,4% no país –inferior ao 1,5% previsto pelo Credit Suisse em junho e considerado uma “piada” pelo Ministro da Fazenda, Guido Mantega, na época. 

Em relatório, o Citi reduziu sua projeção de crescimento para 2012 de 1,8% para 1,4% e a projeção de 2013 de 4,5% para 3,9%. No relatório “Global Economic Outlook and Strategy” a previsão do banco para o crescimento da economia brasileira em 2012 já havia sido reduzida de 2,5%, para 1,8%.

A revisão reflete principalmente o baixo crescimento observado nos últimos meses e a expectativa de uma recuperação mais gradual no segundo semestre e em 2013, segundo o Citi. “A recuperação econômica nos últimos meses está sendo modesta considerando todo o estímulo econômico dado até agora”, afirma o relatório. O Citi acredita que isso deve-se ao baixo crescimento da economia mundial e à menor oferta de crédito, entre outros fatores.

Considerando isso, o banco revisou sua projeção de crescimento no terceiro e quarto trimestres desse ano de 1,5% para 1,0%, o que levou a uma redução da projeção de crescimento para 2012 para 1,4%. O Citi destacou que a redução das projeções para o segundo semestre de 2012 diminui o chamado “carregamento estatístico” para 2013.

O Banco Central divulgou hoje o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), que é considerado uma prévia do PIB. O indicador subiu 0,75% em junho na comparação com maio, segundo dados dessazonalizados. Trata-se da maior variação mensal desde março de 2011, quando a expansão ficou em 1,47%. No primeiro trimestre de 2012, o PIB cresceu 0,2%.

O último boletim Focus divulgado pelo BC indicava que o mercado espera um crescimento de 1,81% no PIB em 2012.

Emprego

A criação de 142 mil vagas em julho também foi citada pelo Citi em seu relatório. Para o banco, a criação elevada de vagas indica que o ritmo de crescimento em julho não deve ter piorado em relação aos meses anteriores. Além disso, o Citi acredita que essa criação elevada de vagas deve manter o crescimento da renda e do consumo nos próximos meses.

O banco afirmou que o crescimento de 1,5% das vendas no varejo em junho está bem acima da projeção do banco e do consenso do mercado.