Petróleo e veículos afetam produção industrial, diz BNDES

Segundo Coutinho, produção de petróleo teve paradas técnicas; no caso da cadeia automotiva, houve formação de estoques e maior cautela dos consumidores

Rio – A queda na produção industrial de maio deveu-se a dois setores, a indústria de petróleo e gás e a automotiva, na avaliação do presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho.

“Em vários outros ramos da indústria houve crescimento e vamos trabalhar para sustentar o crescimento da indústria”, disse Coutinho, ao deixar um evento na Fiocruz, no Rio de Janeiro.

Segundo Coutinho, no caso da produção de petróleo, na indústria extrativa, houve paradas técnicas. Já no caso da cadeia automotiva, houve formação de estoques, maior cautela dos consumidores e seletividade no crédito.

O presidente do BNDES demonstrou preocupação com o setor de bens de capital.

“Na indústria de máquinas, temos uma preocupação. Estamos observando uma recuperação importante nas exportações, mas o mercado interno nos preocupa e o governo tem estudado formas de apoiar, que ainda estão em cogitação”, disse Coutinho.

Ainda de acordo com o executivo, os desembolsos do BNDES em maio foram “parelhos” com o registrado em maio do ano passado.