Peso dos impostos nos ovos de Páscoa supera 40%

Só o vinho tem uma carga tributária maior do que os ovos entre os produtos mais consumidos na Páscoa, segundo levantamento da BDO

São Paulo – Está achando os ovos de Páscoa muito caros? Os impostos estão entre os culpados.

A carga tributária no produto representa 41,31% do preço final, uma taxa que chega a 58,27% no vinho, outro item associado com o período.

O peso dos impostos também é grande nos coelhos de pelúcia (37,25%) e nas caixas de bombom (36,89%).

Os números foram calculados pela BDO, uma das maiores empresas internacionais de contabilidade, auditoria e consultoria tributária.

Fábio Bentes, economista sênior da Confederação Nacional do Comércio (CNC), notou recentemente para o Estadão que a inflação dos produtos de Páscoa caiu em 2017 e poderia ser ainda menor se não fosse por mudanças nos tributos.

Até 1.º de maio do ano passado, o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) do chocolate variava entre R$ 0,09 e R$ 0,12 por quilo. Depois, passou a ser tributado com um alíquota fixa de 5% sobre o valor de venda.

Já o Procon-SP alerta que o consumidor deve ficar atento às diferenças de preços, pesos e qualidade dos produtos oferecidos.

Uma pesquisa da entidade divulgada na semana passada mostrou que a variação de preço nos ovos de Páscoa chega a 106,57% (é o caso de um produto ao leite de 150g da Arcor, que varia entre R$ 15,97 a R$ 32,99).

Já uma fiscalização do Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo (Ipem-SP) mostrou que 16% de produtos característicos da Páscoa estavam irregulares.

O problema mais frequente foi a discordância entre o peso do produto e a informação da embalagem.

Veja o peso dos impostos em 9 produtos de alto consumo na Páscoa:

Vinho: 58,27%

Ovo de Páscoa: 41,31%

Coelho de pelúcia: 37,25%

Caixa de bombom: 36,89%

Colomba Pascal: 28,82%

Azeite: 22,57%

Bacalhau: 18%

Peixe: 18%

Batata: 18%

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Roberto Henry Ebelt

    Faz todo o sentido. Como pagar aposentadorias milionárias para os poderes judiciário e legislativo sem impostos elevadíssimos? Afinal, temos que fazer jus a nossa posição de país de quinto mundo.