Perspectivas para economia dos EUA são “mistas”, diz presidente do Fed

No mês passado, o Fed cortou pela segunda vez este ano sua taxa de juros em 0,25 ponto percentual, para um intervalo entre 1,75% e 2,00%

San Diego — O presidente do Federal Reserve de Nova York, John Williams, disse nesta quarta-feira (2), que, embora a economia dos Estados Unidos pareça estar em um “lugar favorável” quando vista pelo espelho do retrovisor, a perspectiva vista de frente é “mista”.

A incerteza comercial os riscos geopolíticos e outros fatores estão criando “correntes contrárias” que precisam ser enfrentadas, conforme o Fed tenta manter a economia dos EUA “praticamente” na mesma posição em que está atualmente, disse Williams em uma mesa redonda sobre economia na Universidade da Califórnia, em San Diego.

A curva de rendimentos dos Treasuries invertida mostra um sentimento negativo dos investidores sobre as perspectivas de crescimento econômico dos EUA, disse ele. Williams afirmou ainda que “leva a sério” esse sinal da curva de Treasuries.

Ainda assim, Williams disse que o mercado de trabalho é forte e que a economia dos EUA está em uma posição positiva em comparação com o restante da economia global.

“Temos a política monetária no lugar certo”, disse ele.

No mês passado, o Fed cortou pela segunda vez este ano sua taxa de juros em 0,25 ponto percentual, para um intervalo entre 1,75% e 2,00%.

Perguntado sobre o que o preocupa, Williams disse que está trabalhando para descobrir o que causou a volatilidade nos mercados monetários em meados de setembro, quando uma taxa básica de empréstimos ‘overnight’ em dinheiro subiu temporariamente a 10%.

Williams disse que parece que os bancos evitaram emprestar dinheiro, e uma redução geral nas reservas mantidas no Federal Reserve pode ter contribuído para a volatilidade.

“Essas reservas mantidas nas contas do Fed basicamente impediam que os juros de curto prazo se movimentassem muito”, disse ele, acrescentando que as autoridades estão avaliando o motivo pelo qual os bancos não emprestaram dinheiro quando as taxas estavam mais altas.