Paralisação nos EUA pode ser positiva para Índia

O impacto negativo da paralisação na economia americana pode criar obstáculos para a retirada do programa de compra de bônus do Fed

Nova Délhi – Investidores na Índia têm se mostrado indiferentes à paralisação parcial do governo norte-americano, contudo eles poderão ter motivos para comemorar caso o impasse persista por mais tempo.

Quanto mais tempo durar o fechamento do governo federal dos EUA, maior será o impacto negativo sobre a economia dos EUA, dizem analistas. Isso pode criar obstáculos para a retirada do programa de compra de bônus do Federal Reserve.

O momento do início da redução do programa de compra de bônus é algo importante para a Índia e outros mercados emergentes que ficaram viciados no dinheiro fácil. Temores de que o Fed poderia diminuir suas compras, mais cedo neste ano, levaram a rupia a fortes mínimas recordes contra o dólar, o que deixou bens importados mais caros e desencadeou uma aceleração da inflação.

Em resposta, o Banco da Reserva da Índia interrompeu o seu ciclo de taxa de corte e elevou sua principal taxa de empréstimo, diminuindo as esperanças de uma recuperação rápida das taxas de crescimento na Índia.

Se a paralisação do governo dos EUA tiver a duração de mais de duas semanas, o impacto sobre o crescimento do Produto Interno Bruto dos EUA em 2013 pode ser de 0,8 a 1,0 pontos percentuais, disse Upasana Bhardwaj, economista do ING Bank Ltd. Vysya em Mumbai.

“Isso vai reduzir ainda mais as expectativas de que o Fed reduzirá o programa de dezembro ao próximo ano e levará a mais fluxos de entrada de capital, que devem ajudar a rupia”, disse ela.

Tanto o índice de referência de ações quanto a rupia indiana ganharam cerca de 1,0% esta semana, apesar dos problemas nos EUA

A rupia ganhou cerca de 10% de sua mínima recorde de 68,80 por dólar, atingida em 28 de agosto, em parte devido à decisão do Fed de deixar seu programa de compra de títulos inalterado. A moeda indiana, no entanto, ainda está sendo negociada 13% abaixo do seu nível no início de maio, antes de o Fed indicar que estava pronto para reduzir sua compra de títulos.

Ações indianas também deve ter performances melhores, disse Dhruva Raj Chatterji, consultor sênior de investimentos da unidade na Índia da Morningstar Investment Management. “Até certo ponto o apetite pelo risco [para as ações indianas] parece ter voltado, e a tendência pode continuar por mais algum tempo”, disse ele.

Os investidores estrangeiros retiraram um valor líquido de US$ 300 milhões a US$ 400 milhões a cada mês a partir de fundos offshore focados na Índia em julho e agosto, disse ele.

Mas a tendência de retirada líquida foi revertida nas últimas semanas de setembro, com os fundos tendo entradas líquidas. Os investidores institucionais estrangeiros foram compradores líquidos de ações indianas em setembro, depois de vender nos três meses anteriores.

É claro que as exportações da Índia para os EUA podem eventualmente ser prejudicadas por uma desaceleração norte-americana, mas não por muito, segundo economistas. “O setor privado dos EUA ainda está funcionando e nem todas as partes do governo federal foram fechadas”, disse Bhardwaj do ING Vysya. Fonte: Dow Jones Newswires.