Paraguai apresenta em Minas vantagens para investir no país

Ministros paraguaios apresentaram em Minas Gerais as 'vantagens competitivas' do país para atrair investimentos estrangeiros

São Paulo – Os ministros paraguaios de Indústria e Comércio, Gustavo Leite, e de Obras Públicas, Ramón Jiménez, apresentaram nesta sexta-feira em Minas Gerais as “vantagens competitivas” do país para atrair investimentos estrangeiros.

Leite e Jiménez estiveram em Belo Horizonte acompanhados pelo ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, a quem tinham exposto ontem em Brasília um plano de investimentos em infraestruturas no valor de US$ 7 bilhões.

A Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG), que recebeu os ministros paraguaios, afirmou em comunicado que o país vizinho pretende captar investimentos dessa região e estabelecer alianças para projetos bilaterais.

“Nossas empresas podem ser complementares. Podemos apoiar, principalmente, as pequenas e médias, que têm boas possibilidades de negócios”, ressaltou o presidente da FIEMG, Olavo Machado Júnior.

O empresário destacou as oportunidades de aproximação nos setores têxtil e elétrico, enquanto Pimentel considerou que a visita de dois dias dos ministros paraguaios elevará o nível das relações.

Jiménez, por sua parte, ressaltou o “atrativo” plano de desenvolvimento em infraestrutura lançado pelo Paraguai em agosto de 2013, que procura investimentos através do modelo de concessões com alianças público-privadas em estradas, ferrovias, uma via fluvial Paraguai-Paraná e um BRT em Assunção.

Leite, por sua vez, definiu seu país como uma “terra de oportunidades”, com a segunda maior “liberdade econômica” da América Latina, atrás apenas do Chile, e pontos a favor como o menor custo da mão de obra de trabalho no Mercosul, energia elétrica barata e uma baixa carga tributária.

Da comitiva participaram também vice-ministros e o embaixador paraguaio no Brasil, Manuel María Cáceres Cardozo.

Em 2013, Minas Gerais exportou para o Paraguai aproximadamente US$ 100 milhões, principalmente veículos, maquinaria e equipamentos elétricos, e importou US$ 40 milhões em produtos e serviços, particularmente do setor alimentício.

Segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI), no próximo dia 17 de fevereiro um grupo de empresários e investidores brasileiros viajarão ao Paraguai para conhecer de perto as oportunidades de negócio, investimentos e incentivos fiscais do país vizinho. EFE