Para relator, Dilma terá serenidade ao avaliar royalties

Numa reviravolta não esperada pelo governo, o texto foi aprovado pelos deputados na noite de terça-feira por 286 votos a 124

Brasília – Relator do projeto de distribuição de recursos dos royalties do petróleo, o senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) disse nesta quarta-feira que se surpreendeu pela aprovação da sua proposta na Câmara dos Deputados. Numa reviravolta não esperada pelo governo, o texto foi aprovado pelos deputados na noite de terça-feira (6) por 286 votos a 124. Vital disse que esperava que seu projeto fosse “aperfeiçoado” naquela Casa e não aprovado na íntegra, como ocorreu. “Depois de oito meses, eu me surpreendi positivamente porque a Câmara passou esse tempo todo estudando o meu projeto, enquanto o deputado Carlos Zarattini (PT-SP) preparava um projeto alternativo”, afirmou.

Vital acha que ainda é cedo para falar em possíveis vetos da presidente Dilma Rousseff ao texto. Ele acredita que Dilma “vai agir com serenidade no trato desse tema polêmico, como tudo o que versa suas decisões”. Como argumento, lembrou que o projeto dos royalties foi plenamente debatido nas duas Casas. “Nos últimos dois anos, os parlamentares nunca se posicionaram num tema tão firmemente como nesse. Foram 54 votos no Senado e 286 na Câmara”, justificou. O texto que será encaminhado ao governo beneficia Estados e municípios não produtores e não prevê a aplicação dos recursos dos royalties na educação, como queria a presidente Dilma Rousseff.