Para Fipe, IPC deve fechar 2012 perto de 5%

Em entrevista, o coordenador do indicador, Rafael Costa Lima, reiterou que o resultado acumulado de 12 meses deve ser mais elevado do que o de 4,41% visto até setembro

São Paulo – Com a aceleração mais forte apresentada pela inflação na cidade de São Paulo desde o começo de setembro e a confirmação de taxas elevadas até a metade de outubro, a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) está cada vez mais inclinada a mudar a projeção do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de 2012 para um resultado acima do número oficial atual de 4,80%. Em entrevista à Agência Estado na sede do instituto, o coordenador do indicador, Rafael Costa Lima, reiterou nesta quarta-feira que, com a expectativa de uma taxa alta para o mês de outubro, o resultado acumulado de 12 meses deve ser mais elevado do que o de 4,41% visto até setembro e a tendência mais provável é mudar a previsão do acumulado deste ano para cima, bem perto do nível de 5%. “Está cada vez mais difícil ficar abaixo de 5%”, disse.

Nesta quarta-feira, Costa Lima elevou a projeção da inflação de outubro na capital paulista de 0,69% para 0,77%, depois de o IPC ter registrado taxa de 0,77% na segunda quadrissemana, bem mais alta do que o resultado de 0,72% previsto pelo coordenador para esta medição e mais forte do que o número da primeira leitura de outubro, de 0,68%. “Se fechar em 0,77%, o acumulado de 12 meses deve ir para 4,80%, que é o centro da previsão revista em julho pela Fipe para a taxa de 2012. Com isso, seremos forçados a revisar para cima a projeção para este ano”, comentou. “Ainda devemos esperar o fechamento do resultado do mês, mas eu diria que o novo número deve ser algo mais próximo de 5%”, adiantou.

Caso a expectativa da Fipe fique em torno de 5%, a inflação aguardada para 2012 ainda será inferior aos resultados finais acumulados pelo IPC em 2011 e 2010, quando os números foram de 5,81% e de 6,40%, respectivamente. A projeção também seria ainda inferior à realizada no começo do ano por Costa Lima, de 5,30%.

Para o coordenador do IPC, além da tendência de o indicador apresentar taxa de 0,77% no final de outubro e ficar com um resultado mais alto que o de 0,55% de setembro, é pouco provável que a inflação em São Paulo fique abaixo do nível de 0,60% em cada um dos últimos dois meses de 2012. Em novembro e dezembro de 2011, o IPC registrou taxas de 0,60% e de 0,61%, respectivamente. Se a taxa ficar acima de 0,60%, o acumulado de 12 meses continuará aumentando e o índice da Fipe fatalmente caminhará para um nível mais próximo de 5%, como disse Costa Lima.