Oferta baixa de crédito provoca aumento de juros para PSI

Bancos não estavam conseguindo acomodar a diferença entre os juros cobrados dos tomadores e as taxas que eles pagam para atrair recursos dos correntistas

Brasília – Os juros para algumas linhas de crédito do Programa de Sustentação do Investimento (PSI) serão reajustados a partir do próximo ano para permitir que o sistema financeiro empreste os recursos, explicou o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho. Segundo ele, foi necessário aumentar as taxas de três linhas para que os bancos possam emprestar a micro e pequenas empresas.

De acordo com Coutinho, os bancos não estavam conseguindo acomodar a diferença entre os juros cobrados dos tomadores e as taxas que eles pagam para atrair recursos dos correntistas em três linhas do PSI: financiamento de caminhões, Finame (Programa de Financiamento de Máquinas e Equipamentos) e o Procaminhoneiro (que financia a compra de caminhões por pessoas físicas e pequenas empresas). As taxas dessas linhas, atualmente em 2,5% ao ano, passarão para 3% ao ano no primeiro semestre de 2013 e 3,5% ao ano no segundo semestre.

“Detectamos que alguns bancos não queriam emprestar para pequenas empresas porque o spread [diferença entre a taxa de captação de dinheiro pelo banco e a cobrada dos clientes] bancário era pequeno. Não adianta reduzir o spread e não ter oferta de crédito”, explicou Coutinho. Ele, no entanto, ressaltou que, na média, os juros dessas linhas em 2013 serão menores que as deste ano porque as taxas só foram reduzidas em setembro.

Para as demais linhas de crédito de financiamento de bens de capital, as taxas serão diminuídas. Os juros variavam de 5,5% a 4% ao ano e cairão para 3% ao ano a partir de janeiro. Os financiamentos de exportações de bens de capital, cujas taxas são de 7% ao ano para pequenas e médias empresas e 8% para as grandes empresas, terão os juros reduzidos para 5,5% ao ano.

Hoje, Mantega e Coutinho anunciaram o orçamento do PSI em 2013. No total, o programa contará com R$ 100 bilhões em linhas de crédito em 2013 para financiar a compra de bens de capital (máquinas e equipamentos usados na produção) e investimentos em inovação e tecnologia. O governo também anunciou a redução da taxa de juros de longo prazo (TJLP) de 5,5% para 5% ao ano a partir de janeiro.

O PSI trará ainda algumas novidades no próximo ano. O programa passará a financiar a aquisição de equipamentos rurais (tratores, colheitadeiras e implementos agrícolas). Além disso, as empresas também poderão usar os recursos do programa para contratar operações de leasing nas linhas de bens de capital e veículos. Em vez de pegar crédito para comprar esses equipamentos, os tomadores poderão contrair empréstimos para alugá-los.