Obama diz não estar satisfeito apesar de avanço no emprego

A criação de emprego no setor privado obtida em junho "é um passo na direção correta, mas não podemos ficar satisfeitos", afirmou Obama

Washington – O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou nesta sexta-feira que a criação de 84 mil empregos no setor privado no mês de junho é “um passo na direção certa”, mas ainda não é suficiente para uma “satisfação”, já que a economia americana precisa “crescer mais rápido”.

A criação de emprego no setor privado obtida em junho “é um passo na direção correta, mas não podemos ficar satisfeitos”, afirmou Obama durante um comício em um colégio da cidade de Poland (Ohio), onde destacou a necessidade da economia “crescer mais rápido para que mais cidadãos consigam trabalho”.

O índice de desemprego nos Estados Unidos se manteve em 8,2% em junho, um dado que, faltando exatamente quatro meses para as eleições presidenciais nos EUA, aumenta a pressão sobre Obama, que busca sua reeleição.

O colégio em Poland foi a última parada de Obama em Ohio, já que o presidente termina hoje uma viagem de dois dias de ônibus por esse estado e pela Pensilvânia, ambos decisivos para as eleições de 6 de novembro.

Apenas duas horas depois de tomar consciência do índice de desemprego de junho, Obama destacou que o setor privado criou 4,4 milhões de empregos nos últimos 28 meses, mas apontou que seu objetivo não é resgatar a situação econômica anterior à crise de 2008, mas “restaurar a segurança da classe média”.

O lucro de 84 mil empregos no setor privado em junho é muito inferior ao número que os analistas esperavam, sendo que o setor governamental perdeu quase 600 mil empregos neste mesmo período e continua perdendo.

A evolução da economia será decisiva para inclinar a balança a favor de Obama ou de seu rival republicano, Mitt Romney, que hoje ressaltou que o desemprego segue em níveis “inaceitáveis” e indicou que para criar postos de trabalho é necessário, entre outras medidas, aumentar o comércio com a América Latina.

Durante seu comício de hoje, Obama voltou a dizer aos eleitores que desta vez não se trata de uma escolha “entre dois candidatos ou entre dois partidos, mas entre duas visões muito diferentes de país”. “Necessitamos de alguém que brigará pelo crescimento da classe média”, completou Obama.

A última parada da viagem de ônibus de Obama será na cidade de Pittsburgh, no estado da Pensilvânia, onde realizará um discurso na Universidade Carnegie Mellon.