O mundo inteiro já foi amigo e inimigo de Kadafi

Antes de virar inimigo da democracia pela última vez, Muammar Kadafi era um dos líderes do mundo árabe bem aceitos pelos chefes de Estado

São Paulo – Antes de se tornar inimigo da democracia pela última vez, Muammar Kadafi era um dos líderes do mundo árabe mais bem aceitos pelos chefes de Estado de todo o mundo. Barack Obama, Tony Blair, Nicolas Sarkozy, Silvio Berlusconi, Vladmir Putin e  Luiz Inácio Lula da Silva fazem parte da lista dos políticos que se davam cordialmente com o ex-ditador. 

Ao longo da carreira de ditador líbio, Kadafi deu grandes guinadas, de financiador de grupos terroristas espalhados pelo planeta a fornecedor confiável de petróleo para Europa. Quando começou a rebelião popular contra seu regime e ele caiu em desgraça diante do Ocidente há pouco mais de um ano, Kadafi não quis negociar e assim perdeu a chance de salvar a vida.

Após quase um ano de protestos e lutas, Kadafi foi morto nesta quinta-feira pelos rebeldes do Conselho Nacional de Transição (CNT), com todas as características de um linchamento.