O fim da crise nas montadoras?

A crise chegou ao fim para as montadoras? Nesta quinta-feira, a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) divulga os dados de produção e venda de automóveis do mês de março.

Os resultados devem seguir a linha da Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), que apontaram para o primeiro crescimento nas vendas dos últimos dois anos. Em março, foram vendidos quase 190.000 veículos, uma alta de 5,5% em relação ao mesmo mês do ano passado. Em comparação com fevereiro, o avanço é ainda maior: as vendas cresceram 39%. O último mês com resultados positivos havia sido dezembro de 2014.

Os estoques também devem melhorar. Em fevereiro, as montadoras estavam com 205.500 veículos parados nos galpões, volume suficiente para suprir 42 dias de vendas, de acordo com o dado da Anfavea. O limite considerado saudável é garantir um estoque para cerca de 30 dias, mas o próprio presidente da associação, Antonio Megale, afirmou que a reserva deveria baixar em março, que é sazonalmente um mês de vendas mais acaloradas.

Ainda não dá para cravar que a retomada veio para ficar, mas a expectativa é alta. Em 2016, a retração foi de 20% em relação a 2015, quarto ano consecutivo de baixas e o mais fraco desde 2006, com apenas 2 milhões de veículos sendo emplacados. Qualquer melhora é bem-vinda, e o presidente da Fenabrave comemorou os resultados de março. A expectativa é de que, no acumulado do ano, a alta fique em torno dos 2,5%.

Os resultados serão acompanhados com especial atenção porque uma retomada no mercado de automóveis pode ser um impulso a mais para que a economia brasileira consiga sair da recessão em 2017. Apertem os cintos.