Novo secretário de Estado dos EUA pede nova política externa

"Mais do que nunca, a política externa é a política econômica", disse Kerry em sua audiência de confirmação para o cargo

Washington – O senador democrata John Kerry, nomeado pelo presidente Barack Obama como novo secretário de Estado, pediu nesta quinta-feira um desdobramento do “patriotismo econômico” no mundo para que os Estados Unidos sigam sendo “a nação indispensável”.

“Mais do que nunca, a política externa é a política econômica”, disse Kerry em sua audiência de confirmação para o cargo. “Somos conhecidos como um país indispensável por uma boa razão, mas não podemos dizer aos líderes de outros países que resolvam seus assuntos econômicos se não não resolvermos os nossos”, disse.

Kerry considerou “urgente mostrar que podemos cuidar de nossos assuntos de uma forma eficiente e rápida”.

“Meu pedido é que superemos as divisões partidárias para traçar um patriotismo econômico que reconheça que a força e os objetivos dos Estados Unidos no exterior dependem de sua força e seus resultados em casa”, disse.

Em seu depoimento inicial, o senador também considerou “imperativo” que, após “uma década de guerra”, os Estados Unidos demonstrem que sua política externa “não é somente definida por aviões não tripulados e desdobramentos de tropas”.

“Os Estados Unidos cumprem seus valores quando damos voz aos que não a têm”, comentou.

Kerry pediu, portanto, “um novo papel em um mundo onde cada vez mais há Estados fracassados ou que estão falhando”.

“O mundo desenvolvido pode fazer mais para cumprir as aspirações” do povo que protagonizou as revoltas da Primavera Árabe, disse.

“Estou determinado a ajudar o presidente Obama a cumprir com esses objetivos”, acrescentou.

O discurso de Kerry foi interrompido por uma mulher que invadiu a sala para protestar contra a política americana no Oriente Médio, algo que o aspirante a titular das Relações Exteriores minimizou a importância ao dizer que é necessário deixar que todas as vozes sejam ouvidas.