Novo estímulo do Fed prejudicará emergentes, diz Mantega

Para o ministro, a medida do Federal Reserve irá criar muitos problemas para países emergentes e o Brasil agirá para evitar que o real se valorize

Paris – A última rodada de estímulo monetário dos Estados Unidos, também conhecido como “quantitative easing”, irá criar muitos problemas para países emergentes e o Brasil agirá para evitar que o real se valorize, afirmou nesta terça-feira o ministro da Fazenda, Guido Mantega.

Ao falar para jornalista depois de uma reunião com seu contraparte francês, Pierre Moscovici, Mantega expressou preocupações de que mais estímulo monetário irá diminuir o valor do dólar e, como consequência, prejudicar a competitividade brasileira nos mercados exportadores.

“Nós continuaremos tomando medidas para manter o real desvalorizado”, disse ele.