Ministro grego que se opõe a cortes pede demissão

Além da saída de Makis Voridis dos Transportes, dois vices-ministros também pediram demissão em protesto

Atenas – Um ministro e dois vice-ministros da Grécia, todos eles do partido ultradireitista, renunciaram nesta sexta-feira por não concordarem com o pacto sobre as novas medidas de austeridade feito pelo primeiro-ministro, Lucas Papademos, com a troika – formada pela Comissão Europeia, o Banco Central Europeu (BCE) e o Fundo Monetário Internacional (FMI).

Trata-se do ministro de Transporte, Makis Voridis, e os vice-ministros de Marinha Mercante e Agricultura, do partido ultradireitista LAOS.

Os políticos apresentaram hoje a demissão de seus cargos após a crise aberta dentro desse partido pelo pacto estipulado pelo qual a troika exige à Grécia uma série de novas medidas de austeridade e cortes em troca de outro resgate financeiro de 130 bilhões de euros.

Porém, o LAOS rejeitou estas medidas, sem as quais a troika pode negar à Grécia a ajuda financeira, deixando o país exposto ao perigo da quebra.

O LAOS é o terceiro maior partido do Governo liderado por Papademos, junto com social-democratas e conservadores.

O líder do LAOS, Giorgos Karatzaferis, já havia anunciado hoje que seu partido não votará a favor das medidas exigidas pela troika quando forem apresentadas ao Parlamento no próximo domingo.

Já ontem um vice-ministro de Trabalho apresentou sua demissão em protesto pelas medidas e um membro do socialista Pasok entregou nesta manhã sua ata de deputado por contrapor-se ao acordo com a troika.