Ministro confirma ‘ação coletiva’ do G7 contra evasão fiscal

Ministros de EUA, Reino Unido, Japão, Alemanha, Itália, França e Canadá concluíram neste sábado uma reunião de dois dias. Taxas de câmbio não foram discutidas

Londres – Os ministros das finanças do G7 estão de acordo em lutar contra a evasão fiscal mediante uma ‘ação coletiva’ e reafirmam sua decisão de não discutir taxas de câmbio, disse neste sábado o titular da pasta no Reino Unido, George Osborne.

Os ministros de Estados Unidos, Reino Unido, Japão, Alemanha, Itália, França e Canadá concluíram neste sábado uma reunião de dois dias sem um comunicado conjunto, devido ao caráter informal do encontro. O anfitrião Osborne foi quem se encarregou de resumir o tratado em entrevista coletiva.

O encontro aconteceu desde ontem, em um hotel de Ayslesbury, no condado de Buckinghamshire, ao norte de Londres.

Em entrevista coletiva, Osborne se reafirmou os termos do comunicado do G7 emitido em fevereiro, no qual seus membros se comprometeram a ‘não discutir’ as taxas de câmbio, e evitou criticar a política monetária expansiva de Japão.

Como em anteriores ocasiões, os representantes das finanças do G7 concordarem que a política monetária deve responder aos interesses nacionais e não utilizá-la para conseguir uma manipulação do mercado, apontou Osborne.

O britânico afirmou que os sete países-membros deste fórum, os mais ricos do mundo, também estão em acordo sobre a necessidade de consolidação fiscal ‘maior do que se acredita’, apesar de admitir a necessidade de trabalhar ‘com flexibilidade’.