Mercado de trabalho seguirá aquecido, estima FGV

Segundo economista, até mesmo o resultado em São Paulo - que demonstrou aumento do desemprego de 23,3% em relação a dezembro - pode ser uma indicação positiva

Rio de Janeiro – O mercado de trabalho neste ano deverá seguir a trajetória de aquecimento vista em 2012, estima o economista do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV), Fernando de Holanda Barbosa Filho, ao analisar a Pesquisa Mensal de Emprego (PME) de janeiro, divulgada na manhã desta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Até mesmo o resultado em São Paulo – que demonstrou aumento do desemprego de 23,3% em relação a dezembro e de 22,3% em comparação com janeiro do ano passado – pode ser uma indicação positiva do comportamento do mercado de trabalho.

Uma leitura possível, disse o economista, é que algumas pessoas que haviam desistido de procurar emprego voltaram a considerar que vale a pena retornar ao mercado, como a população mais jovem.

“Outra interpretação sobre os dados de São Paulo é que o pessoal temporário de dezembro ficou animado com o mercado e continuou procurando emprego em janeiro. Isso explicaria o aumento da população economicamente ativa na região metropolitana”, declarou o economista.