Mercado de automóveis chinês dobrará em 2019

Os mercados de carros na Europa e nos Estados Unidos irão se expandir, mas o número de registros alcançará os níveis anteriores apenas com dificuldade

O mercado de automóveis global continuará se expandindo nos próximos anos, graças, particularmente à China onde as vendas devem praticamente dobrar em 2019, disseram consultores da PwC em um estudo publicado nesta quinta-feira.

“Enquanto as vendas de automóveis e caminhões leves deve dobrar na China entre 2012 e 2019, os mercados de carros na Europa e nos Estados Unidos irão se expandir, mas o número de registros alcançará os níveis anteriores apenas com dificuldade”, disse a PwC em um novo estudo.

De acordo com os especialistas do PwC, as vendas de carros atingirão 27,7 milhões de unidades na China em 2019, comparado a 15,8 milhões em 2012. Este ano, eles devem aumentar a 18,1 milhões de unidades, mostrou o estudo.

“Na China e outros países desenvolvidos, há espaço para o mercado de carros crescer já que mais pessoas estão em uma posição em que podem comprar seu primeiro carro”, disse o chefe da divisão automotiva da PwC na Alemanha e Europa, Feliz Kuhnert.

A Europa, por sua vez, pode começar a ver uma luz no fim do túnel com as vendas se estabilizando na segunda metade deste ano.

Contudo, analistas do PwC estão esboçando um crescimento mais devagar para a Europa do que para a China, com 12,1 milhões de veículos para serem vendidos este ano e 14,9 milhões em 2019.

Esse número é bem inferior ao recorde de 16 milhões de veículos de antes da crise, em 2007.

Ao mesmo tempo, as vendas nos EUA devem aumentar de 15,4 milhões de veículos a 16,7 milhões.

“Os mercados de automóveis em países ocidentais industrializados estão amplamente saturados”, disse Kuhnert. O crescimento deve vir principalmente de clientes que precisam substituir seus carros, uma compra que eles adiaram até agora como resultado da crise econômica.

Para atender à demanda global, a produção em todo o mundo deve se expandir em 25,5 milhões de veículos a 104,7 milhões em 2019, com uma capacidade adicional de produção a ser construída nos mercados de rápido crescimento como a China e países em desenvolvimento na Ásia, disse a PwC.