Meirelles crava que haverá aumento de impostos para cumprir meta

O ministro da Fazenda também deixou a porta aberta para a fixação de uma meta de inflação menor

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, cravou nesta quinta-feira que o governo elevará impostos para cumprir a meta fiscal deste ano e também deixou a porta aberta para a fixação de uma meta de inflação menor ou de uma banda de tolerância também mais estreita caso haja a avaliação de que isso não forçará o Banco Central a ser mais duro em relação aos juros.

Em entrevista ao jornalista Kennedy Alencar exibida no SBT, o ministro afirmou que uma parte do rombo de 58,2 bilhões de reais para o cumprimento da meta de déficit primário deste ano será coberto com aumento de impostos já existentes.

“Uma parte dessa diferença será cumprida com mais cortes de gastos e uma parte será aumento de impostos”, disse ele, citando, por exemplo, PIS/Cofins e a reoneração de algumas isenções fiscais que foram concedidas e que não tiveram efeito produtivo segundo ele, como desonerações a alguns setores.

Em outras ocasiões, Meirelles se esquivou de confirmar aumento de impostos, falando que o governo tomaria essa decisão caso fosse de fato necessário.

Questionado sobre a diminuição da meta de inflação e da margem de tolerância para o avanço de preços na economia, Meirelles reconheceu haver possibilidade de mudança. O tema será definido em junho, quando o alvo de 2019 será definido em reunião do Conselho Monetário Nacional (CMN).

“Se ficar claro, por exemplo, que pode-se de fato fixar uma meta mais baixa sem prejudicar a economia no sentido de forçar o Banco Central a apertar mais excessivamente, se tudo caminhar da melhor maneira possível daqui até la, é uma boa possibilidade”, afirmou.

A meta de inflação para 2017 e 2018 é de 4,5 por cento pelo IPCA, com margem de 1,5 ponto percentual para mais ou menos.

Recente pesquisa da Reuters mostrou que a redução da meta de inflação para 2019 encontra forte respaldo entre economistas.

Nesta noite, o ministro da Fazenda também disse acreditar que o impacto das delações de executivos da Odebrecht no âmbito da Lava Jato já foi precificado pelo mercado.

Veja também
Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. ViP Berbigao

    Aumento de impostos via União para bancar a farra dos Estados e Municípios por meio do FPE/FPM. Muito bonito. Pq não acaba com isso e junto o déficite da União? Acaba que é juros mais baixos e mais atividade economica. O dinheiro tem q circular e não ficar no cofre do Banco Central ou embaixo da bunda dos banqueiros privados.

  2. Vejo a América o Presidente defendendo o Povo mesmo sob acusação!!! Mesmo de Maneira ilaria as vezes mais ele acredita em sua nação!!! Na Inglaterra o povo ama a Rainha porque ela ama o o seu povo!!! Sinto que é disso que necessitamos líderes que amém sua Nação, morram pelo povo!!! Necessitamos de líderes que sejam homens de caráter que sintam que foram chamados para liderarem a Nação com Amor!!! O Brasil não tem como ser um País forte enquanto tivermos líderes fracos e covardes como nosso atual “Presidente”!!!

  3. Aqui só a menosprezo, falta de respeito, amor a nação e ao povo!!! Por isso que o povo e tão sofrido como filho de um pai abandona seus filhos e o ignora deixando-o marginalizado, fragilizado e ignorado, criando nele os mais odiosos desejos que são fruto de abandono por parte da Nação!!! Mas mesmo diante de tanto desprezo e menosprezo alguns filhos da Nação conseguem ser grandes mesmo tendo sido tão maltratado e hostilizados pela sua própria família!!!! Pronto disse o que está no coração de cada Brasileiro!!!

  4. Roberto Izumi

    Meireles trabalhou na JBS e está essa porcaria da carne e agora quer aumentar impostos ! Vá buscar os roubados. Os empréstimos a Cuba. Venezuela. Etc

  5. Rodrigo Portela

    risada de demonio kkkkk

  6. Paqueta Paqueta

    Prezados leitores !! não precisamos de lider com amor a nação nem salvador da pátria. o que precisamos é viver dentro das normas do capitalismo com educação, saúde e contas públicas em dia para gerar investimentos privados e empregos que façam a economia circular. não adiante somente aumentar impostos . sem gerar receita e capital de giro. todas as reformas irão por aguá a baixo se o governo não conseguir recuperar sua credibilidade , cortar custos e criar modelos de desenvolvimento. não sabe como fazer, acesse a internet e aprendo com os casos de sucesso de diversos paises. mas isto não é importante e sim continuar o modelo que valoriza o pão e circo. triste sina do pais e seu povo. mas ele tem a culpa maior de colocar políticos despreparados e corruptos para representá-lo. cada povo tem o governo que merece. frase histórica e real.

  7. Gilson Felix

    Pode se dizer que o brasil tem a cara do carandiru. E que só vai acabar no dia que acontecer o que aconteceu no carandiru e de preferencia dentro do parlamento em brasilia. Nós brasileiros tamos dentro de um novo e atualizado carandiru. Ou a naçao sai nas ruas e joga as carnes podres que tem na politica brasileira a exempro dos frigorificos brasileiros ou vamos ser sempre os refens que somos. Amarrados. Amordaçados e encapuzados como fazem os terroristas. É assim que mim cinto.

  8. Alan Antonio

    Não é preciso fazer faculdade de econômia para resolver isto é somente cortar aumento dos juízes e retirar os benefícios dos políticos como nos paises de 1 mundo. o Brasil é uma comédia mesmo.