Marcelo Guaranys é confirmado “número 2” da Economia

Novos secretários executivos de vários ministérios foram nomeados em edição extra do Diário Oficial da União publicada nesta quarta-feira, 2

Brasília – O presidente Jair Bolsonaro nomeou os novos secretários executivos de vários ministérios, em edição extra do Diário Oficial da União publicada nesta quarta-feira, 2. Os secretários executivos são o número dois na hierarquia das pastas e cargos-chaves no governo. Conforme já havia sido anunciado, para a Secretaria Executiva do Ministério da Economia foi nomeado Marcelo Pacheco dos Guaranys. Técnico de carreira do Tesouro Nacional, Guaranys já foi diretor-geral da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e atualmente ocupava o cargo de subchefe de Análise e Acompanhamento de Políticas Governamentais da Casa Civil da Presidência da República.

Também foi nomeado e confirmado para a Secretaria Executiva da Casa Civil o economista Abraham Bragança de Vasconcellos Weintraub. Na Casa Civil, Abraham não só será o substituto imediato do ministro Onyx Lorenzoni, mas também deve ser responsável por endereçar questões relevantes para o governo, sejam de cunho econômico sejam de outras áreas. Durante a transição, o economista participou de discussões sobre a Reforma da Previdência e também sobre a autonomia do Banco Central. O DOU traz ainda a exoneração do até então secretário executivo da Casa Civil, Daniel Sigelmann.

Ainda no âmbito da Casa Civil, Pablo Antônio Fernando Tatim dos Santos, que já integrava a equipe de transição, foi nomeado para exercer o cargo de subchefe de Ação Governamental da Casa Civil da Presidência da República.

Para exercer o cargo de chefe do Gabinete Pessoal do Presidente da República foi nomeado Pedro Cesar Nunes Ferreira Marques de Sousa, que já trabalhava na mesma função no gabinete do então deputado Jair Bolsonaro na Câmara dos Deputados.

A edição extra do DOU traz também a nomeação de Mauro Biancamano Guimarães para exercer o cargo de secretário executivo da Secretaria de Governo da Presidência. Floriano Barbosa de Amorim Neto foi nomeado para exercer o cargo de Secretário Especial de Comunicação Social da Secretaria de Governo.

A Secretaria-Geral da Presidência da República terá como secretário executivo Floriano Peixoto Vieira Neto, também nomeado hoje para o cargo.

Para a Secretaria Executiva do Ministério de Infraestrutura foi nomeado Marcelo Sampaio Cunha Filho.

O atual secretário executivo do Ministério de Minas e Energia, Marcio Felix Carvalho Bezerra, foi exonerado do cargo e a vaga será ocupada pela atual chefe da Assessoria Econômica da pasta, Marisete Fátima Dadald Pereira.

Para a Secretaria Executiva do Ministério da Cidadania foi nomeada Tatiana Barbosa de Alvarenga. A secretaria executiva do Ministério da Educação será ocupada por Luiz Antônio Tozi.

A edição traz ainda a nomeação do embaixador Otávio Brandelli para exercer o cargo de secretário-geral das Relações Exteriores do Ministério das Relações Exteriores. O nome de Brandelli, que ocupava a Diretoria do Departamento do Mercosul, já havia sido anunciado na transição para o cargo.

Para exercer o cargo de secretário executivo do Ministério do Desenvolvimento Regional foi nomeado Antonio Carlos Paiva Futuro. A Controladoria-Geral da União terá no cargo de secretário executivo José Marcelo Castro de Carvalho.

Ministério da Justiça

Em outra seção do Diário Oficial extra de hoje, também está publicado o Decreto 9.662/2018, que aprova uma nova estrutura e o quadro de cargos do Ministério da Justiça e Segurança Pública, agora comandado pelo ex-juiz Sérgio Moro, nomeado ontem para a pasta.

A edição extra da seção 2, que traz as nomeações, confirma o nome de Luiz Pontel de Souza para exercer o cargo de secretário executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Agora também sob a tutela da Justiça, o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) teve nomeado o novo presidente, que será o auditor fiscal Roberto Leonel de Oliveira Lima. Ele já integrava a equipe de transição do governo e foi chefe da área de investigação da Receita Federal em Curitiba e atuou na Operação Lava Jato, sendo um homem de confiança do novo ministro da Justiça, Sérgio Moro.