Mantido impasse entre Kiev e Moscou sobre gás

Rússia e Ucrânia continuam sem chegar a um acordo sobre o preço do gás comprado por Kiev e sobre a quitação da dívida

Bruxelas – Rússia e Ucrânia continuam sem chegar a um acordo sobre o preço do gás comprado por Kiev e sobre a quitação da dívida, anunciou o comissário europeu para Energia, Gunther Oettinger, acrescentando que as discussões continuarão na terça, ou na quarta em Bruxelas.

“Todos os pontos foram discutidos”, “soluções foram propostas” e “as discussões serão retomadas na terça à noite, ou na quarta de manhã em Bruxelas”, declarou Oettinger, após sete horas de difíceis negociações iniciadas nesta segunda-feira à noite com os representantes das duas partes.

“Temos questões que seguem abertas e posições diferentes. As partes devem consultar seus respectivos governos e dirigentes”, precisou Oettinger.

“Não chegamos a um acordo (…), a boa notícia é que as negociações vão prosseguir”, declarou o ministro ucraniano da Energia, Yuri Prodan.

“Queremos uma solução global que resolva as questões do gás e do pagamento da dívida, mas não podemos aceitar o mecanismo de cálculo do preço proposto pela Gazprom”, explicou Prodan. “Queremos um preço equitativo e baseado no mercado”.

O ministro russo da Energia, Alexandre Novak, revelou que exigiu o pagamento, até 10 de junho, de 1,470 bilhão de dólares, correspondentes às faturas de novembro e dezembro de 2013.

“A Rússia quer um acordo e se mostra construtiva”, assegurou Novak.

As negociações entre a empresa russa Gazprom e a ucraniana Naftogaz estão encaminhadas para obter um acordo sobre o preço do gás e um plano de liquidação da dívida, estimada em US$ 2,2 bilhões pela Gazprom.

A Naftogaz deve as faturas de novembro e dezembro de 2013, e as de abril e maio de 2014.

Também se busca um acordo sobre o preço do gás vendido pela Gazprom para a Naftogaz e sobre as quantidades.

O preço deve ficar entre US$ 268 e US$ 480 por 1.000 m3.

A Ucrânia comprou cerca de US$ 30 bilhões de metros cúbicos de gás em 2013.