Mantega e Pimentel defendem investimentos entre Brics

De acordo com o ministro, o Banco dos Brics, que por sugestão dele deveria entrar em funcionamento em 2014, impulsionaria tais aportes

São Paulo – O ministro da Fazenda, Guido Mantega, ressaltou em Durban, na África do Sul, a necessidade de elevar o volume de investimentos em infraestrutura nos países que fazem parte do bloco Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). As afirmações constam de nota publicada pelo Blog do Planalto nesta terça-feira.

De acordo com o ministro, o Banco dos Brics, que por sugestão dele deveria entrar em funcionamento em 2014, impulsionaria tais aportes. Ainda segundo Mantega, o novo banco teria a vantagem de se concentrar nas nações em desenvolvimento e ter a governança dos países do grupo.

Mantega exortou os países do Brics a se organizar mais para equilibrar questões que emergem com a demora do fim da crise mundial iniciada em 2008, como a falta de mercado consumidor, a dificuldade de aumentar o comércio exterior e a necessidade de estreitar laços entre emergentes – os “puxadores de crescimento”. O ministro participa na África do Sul da V Cúpula dos Brics.

Também em Durban, o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, afirmou que o Brasil quer aumentar os investimentos entre os parceiros do bloco. Segundo ele, além de consolidar as relações comerciais, é essencial investir mais mutuamente, pois há uma fronteira entre os integrantes que não está sendo bem explorada.

Para Pimentel, outro ponto a ser considerado pelo grupo é a necessidade de ajudar o continente africano, o que poderia ser feito com a criação de um banco de investimento do Brics. Essa proposta, conforme Pimentel, está sendo discutida e avançou bastante, embora haja ajustes técnicos a serem feitos.